4 AVANÇOS DA TECNOLOGIA NA FISIOTERAPIA QUE VOCÊ PRECISA SABER

0
2749

Da mesma forma com que cobre diversas áreas das nossas vidas, a tecnologia vem auxiliando de forma incrível o trabalho que é feito na fisioterapia. Não é preciso pensar em filmes de ficção cientifica ou robôs futuristas.

Não estamos falando apenas de máquinas, mas de metodologias sugeridas por variados ramos tecnológicos que se mostram muito eficientes, seja na reabilitação ou no fortalecimento muscular dos pacientes.

Videogames com sensores de movimento, realidade virtual e trajes robóticos, todos são novos métodos utilizados na atualidade. No artigo de hoje, vamos falar sobre quatro avanços da tecnologia na fisioterapia que você precisa saber.

Gameterapia e Biofeedback

Isso mesmo, tratar o paciente utilizando jogos interativos tem se mostrado uma tendência, sobretudo pela capacidade do game de estimular a determinação do paciente, enquanto que na fisioterapia tradicional, os pacientes realizam movimentos repetitivos e monótonos com pesos e aparelhos.

Os equipamentos contêm sensores que reconhecem todos os movimentos realizados pelo jogador de acordo com os jogos pré-determinados pelo fisioterapeuta, de acordo com a patologia apresentada e o programa de treinamento escolhido. Esses sensores podem ser de eletromiografia (que capta a atividade elétrico dos músculos), inerciais (que captam o movimento), plataforma de força e equilíbrio entre outros.

O videogame de sucesso da Nintendo se mostrou um grande auxiliar para o trabalho de fisioterapeutas, graças ao seu controle de movimento e jogos de esportes – como Golf. Pacientes em trabalho de reabilitação física e neurológica tem mostrado avanços em seus tratamentos utilizando o método, simplesmente por transformar o processo em uma atividade mais divertida.

Os Biogames da Miotec apresentam jogos de biofeedback eletromiográfico, onde a atividade elétrica dos músculos comanda a ação dos jogos. O paciente pode se sentir um Astro do Rock acompanhando as notas da guitarra – Biorock ou sentir-se um maquinista no comando de um trem por exemplo. Pacientes com incontinência urinária tem tido ótimos resultados quando praticam protocolos fisioterapêuticos de forma mais interativa e divertida.

Realidade Virtual

Um estudo recente diz que pessoas que utilizaram jogos em realidade virtual tiveram uma performance cinco vezes melhor do que pacientes que utilizaram métodos convencionais.

A grande tacada é o método: utilizando óculos e luvas de captura de movimento para interagir nos ambientes virtuais, o cérebro treina os músculos (envia comandos) como se fosse no mundo real, acelerando assim o processo de recuperação. Nenhum outro método conhecido contempla tamanha eficiência.

Trajes Robóticos

Já há algum tempo em testes, os trajes robóticos começaram a ser utilizados por profissionais de fisioterapia em trabalhos de reabilitação. Feitos de alumínio e titânio, eles envolvem o corpo do paciente ajudando-os a andar novamente.

No início do trabalho, os primeiros passos são acompanhados pelo fisioterapeuta, que analisa o tamanho do passo do paciente e passa essa informação ao traje. Cada passo exige um comando do profissional de fisioterapia.

Com o passar do tempo, o paciente começa, sozinho, a dar o comando de passos graças a botões instalados em um colete. Com treino, ele não precisa mais apertar botões. O paciente já possui equilíbrio e, com um leve movimento (uma indicação de um passo), o traje consegue ajudar o paciente a andar sozinho.

Eletroterapia

Aqui é feito o uso de energia elétrica para propósitos medicinais. Dentro da fisioterapia, ela é utilizada da seguinte maneira: os músculos do paciente são estimulados com descargas elétricas para evitar a atrofia por desuso. Ao mesmo tempo, existem benefícios, como aumento da força muscular e melhoria no fluxo sanguíneo.

Você já conhecia algum desses avanços da tecnologia na fisioterapia? Consegue imaginar o uso do videogame em algo delicado como a reabilitação de pessoas?

Fonte: Miotec Equipamentos

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*