AMOR AO PRÓXIMO: ESTUDANTE DE FISIOTERAPIA COM CÂNCER QUER CRIAR PROJETO PARA PACIENTES PALIATIVOS DE MACEIÓ

0
610

Deixar de sonhar não é uma alternativa para o estudante de fisioterapia, de 27 anos, que tem câncer e atualmente reside em Maceió. Diagnosticado com adenocarcinoma e vivendo desde os 22 anos sem o estômago, Gilson Wagner da Silva, o Gui Pagnoncelli, não deixou que a doença abalasse o sorriso que está estampado no rosto e a vontade de viver que se tornou a sua principal aliada na luta contra a doença.

“Meu maior sonho é criar um projeto para ajudar adultos e idosos com câncer, pacientes paliativos que não tem mais perspectiva de melhora”, disse Gui.

Gui ficou conhecido nas redes sociais após gravar um vídeo que viralizou na internet e mobilizou milhares de pessoas, inclusive personalidades brasileiras, a iniciarem uma grande campanha solidária.

O estudante contou à reportagem do CadaMinuto que há cinco anos precisou ir à emergência após ter uma crise de vômito. O jovem lembra que na época, quando recebeu o diagnóstico, se recusou a iniciar o tratamento. Sua avó, que reside no interior de Pernambuco, precisou sair de casa para convencê-lo a fazer os procedimentos médicos.

Ele também relatou à reportagem que há cerca de 15 dias perguntou a médica, oncologista, quanto tempo teria de vida. “A médica disse que tenho de 6 a 8 meses”, contou. “Mas eu não tenho medo de morrer e não tenho medo de fazer a cirurgia”, afirmou o estudante.

A notícia poderia abalar o jovem e obrigá-lo a viver dentro do quarto sem esperança, mas Gui não abre mão de viver a vida com sorriso no rosto e com fé de que será curado. Para ele, o que importa é viver da melhor forma possível e, principalmente, ajudar outras pessoas.

“Eu poderia estar em casa esperando a morte chegar, mas não, estou rindo, brincando, saio… Eu levo uma vida normal. Quando eu fiz uma cirurgia, ainda com os pontos, continuei indo para a faculdade. Eu sempre disse que o câncer não ia me impedir de fazer nada. Continuei fazendo faculdade com toda dificuldade que tem das quimioterapias. E daí eu vou levando. Este período eu concluo”.

Ao ser lhe perguntado se houve alguma mudança em sua vida após a doença, ele foi direto. “Quando se enfrenta uma doença dessa, a gente passa a dar valor as pequenas coisas. Eu fico encantado quando está chovendo e uma gota cai no vidro do carro. Fico acompanhado aquela gota de chuva e acho aquilo o maior espetáculo do universo”, exemplificou.

Atualmente, o jovem possui mais de 100 mil seguidores no Instagram e ficou conhecido por sua história de luta contra doença em todo o Brasil, como também em outros países do mundo.

Eu tinha 20 mil mensagens, o Facebook topou de amigos. A sensação é de que eu não acredito que toda essa gente tem falado comigo. Cada mensagem que eu recebo desejando força, parece que essas pessoas são meus parentes. Essas pessoas acreditam que eu vou ficar bem e são pessoas do mundo todo, tem gente do México, Canadá, Espanha, da China. Conseguimos alcançar, inexplicavelmente, o mundo inteiro com essa história que é triste, mas ao mesmo tempo de superação”, contou.

“Sou muito feliz por esses 102 mil seguidores pois sei que eles torcem por mim e acreditam na minha história e na minha cura”, completou.

Gui ainda está na luta contra a doença. Amigos, familiares e pessoas de toda parte do país e do mundo estão em uma verdadeira corrente de solidariedade. O dinheiro arrecadado servirá para que ele viaje aos Estados Unidos. Lá, Gui deve receber um novo estômago.

As doações podem ser feitas pelas contas abaixo:

CAIXA ECONÔMICA
Agência: 0840; Op.: 013; Conta: 13058-2
Favorecido: Gilson W. da Silva
BANCO DO BRASIL
Agência: 3057-0 C/C 41847-1
Favorecido: Deise S. da Silva

Por:  Joyce Marina

 

Fonte: http://www.cadaminuto.com.br

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*