ANÁLISE DO PERFIL, FUNÇÕES E HABILIDADES DO FISIOTERAPEUTA COM ATUAÇÃO NA ÁREA ESPORTIVA NAS MODALIDADES DE FUTEBOL E VOLEIBOL NO BRASIL

0
1163
Analysis of the profile, areas of action and abilities of Brazilian Sports Physical Therapists working with soccer and volleyball

 

Resumo

Objetivo: Investigar o perfil do fisioterapeuta com atuação na área esportiva nas modalidades de futebol e voleibol no Brasil no que tange à sua formação, atuação e grau de autonomia dentro da equipe interdisciplinar. Métodos: Foram analisados questionários estruturados para levantamento de dados sociodemográficos, dados relativos ao ambiente de trabalho e à prática clínica e os seus domínios, referentes a 49 fisioterapeutas de clubes e seleções de futebol e voleibol. Resultados: Do total de entrevistados, apenas cinco fisioterapeutas eram do sexo feminino, e a idade média do grupo era de 32,2 anos. A maioria dos fisioterapeutas brasileiros que atuam no esporte possuem especialização em diversas áreas (78,2%), foram contratados por indicação (78,2%), trabalham mais de 8 horas/dia ou em regime de dedicação exclusiva (80,0%) e recebem de sete a dez ou mais salários mínimos (58,2%). Além disso, observou-se uma grande participação do fisioterapeuta nos domínios do atendimento emergencial (87,3%), prevenção (92,7%), reabilitação funcional (98,2%) e retorno após lesão (100%). O fisioterapeuta com atuação no esporte relata haver uma boa relação interdisciplinar, sobretudo com o preparador físico na reabilitação funcional (70,9%), com o médico do clube na decisão do retorno do atleta após reabilitação (74,5%) e no veto ou liberação do atleta para jogos/treinos (63,6%). Entretanto, muitos reclamaram de ameaças à sua autonomia, principalmente pelo profissional médico. Conclusão: Ainda existe a necessidade de investir na formação específica do profissional fisioterapeuta esportivo, visando a uma melhor especialização na área esportiva e consolidando conceitos importantes da área por meio de um melhor entendimento de referenciais teóricos e de atuação clínica.

Palavras-chave: fisioterapia; esporte; profissão; reabilitação; prevenção; equipe interdisciplinar.

Abstract

Objective: To analyze the profile of Brazilian physical therapists working with soccer and volleyball professional teams, by verifying their level of education (graduate or undergraduate), as well as their role and insertion within the interdisciplinary team. Methods: Structured questionnaires were administered to forty-nine physical therapists working at soccer, volleyball clubs and Brazilian national teams. These questionnaires provided data on social demographic, characteristics of the work environment and organization of clinical practice and its domains. Results: From the 49 participants in this study only five were female. Mean age of all participants was 32.2 years. The majority of the sports physical therapists had specialization degrees in different areas (78.2%), were hired through referral (78.2%), worked more than 8 hours a day or were exclusively dedicated to their clubs (80.0%) and earned seven to ten Brazilian minimal wages (58.2%). They reported to have participation in the domains of emergency care (87.3%), prevention (92.7%), functional rehabilitation (98.2%) and return to competition (100%). They had interdisciplinary relationships with physical educators during functional rehabilitation programs (70.9%) and with physicians in the decision process of return to activity after rehabilitation (74.5%) and on the veto of an athlete to take part in practices or matches (63.6%). Therapists also complained of threats to their professional autonomy, specially directed by the team’s physician. Conclusion: There is still a need to invest in continuing education of sports physical therapists with the objective to improve their educational level and to strengthen their professional autonomy.

Keywords: physical therapy; sport; profession; rehabilitation; prevention; staff.

Por:Anderson A. Silva1 , Natália F. N. Bittencourt2 , Luciana M. Mendonça2 , Marcella G. Tirado1 , Rosana F. Sampaio1 , Sérgio T. Fonseca1

  1. Departamento de Fisioterapia, Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
  2. Laboratório de Prevenção e Reabilitação de Lesões Esportivas, Centro de Excelência Esportiva, UFMG Correspondência para: Anderson Aurélio da Silva, Rua Minueto, 151, Santa Amélia, CEP 31560-470, Belo Horizonte, MG, Brasil, e-mail: aaurelio@ufmg.br; aaurelioig@ig.com.br

Fonte: Scielo

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*