CONHEÇA AS PROFISSÕES MAIS ATINGIDAS POR DOENÇAS LER/DORTs

0
790

Desempenhar a mesma atividade física durante um tempo longo pode acarretar problemas físicos  que, dependendo da gravidade chegam até a provocar o afastamento temporário ou definitivo dos postos de trabalho.

Segundo a assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde de Maceió (Sesau). O mal estar que atinge músculos, nervos e tendões, ocasionando tendinites, principalmente no punho, ombros e cotovelo, as Lesões por Efeito Repetitivos e Distúrbios Osteo Musculares Relacionados ao Trabalho – conhecidas como LER/DORTs – também provocam dores musculares em qualquer área do corpo, em especial na região lombar.

Essas síndromes, segundo Gardênia Santana, supervisora do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador  (Cerest), atingem principalmente os digitadores, trabalhadores agropecuários e auxiliares de lavanderia.

 Uma situação que está relacionada à postura inadequada por um longo período de tempo, maratona física ou psicológica, além de atingir àqueles que ficam expostos a ruídos elevados. Situações que ocorrem nos mais variados ambientes de trabalho e, quando se tornam uma rotina, provocam as LER, acompanhados dos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho DORT.

 “O estabelecimento de metas e produtividade por parte das empresas não levam em consideração os limites físicos e psicológicos dos seus funcionários. Com isso, eles acabam por utilizar em excesso o sistema musculoesquelético e, sem tempo necessário para a recuperação, acabam desenvolvendo as LER/DORT”, afirmou a supervisora do Cerest.

Gardênia Santana ainda relata que a predominância dos casos está ligada ao sexo feminino, principalmente na faixa etária entre 30 e 49 anos. “As mulheres são mais afetadas pelas LER/DORT, porque além de serem exigidas no ambiente de trabalho, ainda têm que desenvolver os afazeres domésticos, aumentando o estresse e a tensão muscular”, enfatizou.

Orientação e prevenção

Os trabalhadores que são acometidos por LER/DORT precisam procurar o tratamento com uma equipe multiprofissional, composta por fisioterapeuta, médico, enfermeiro, psicólogos, assistentes sociais e terapeuta ocupacional.

 Para que os profissionais possam evitar os afastamentos temporários ou, até mesmo permanentes do mercado de trabalho, é necessário que, a cada 50 minutos de atividades repetitivas, o trabalhador faça uma pausa por 10 minutos para um descanso, além de alongamentos dos punhos, braços e coluna. “As empresas também precisam disponibilizar postos de trabalho montados ergonomicamente com as especificações para cada pessoa”, salientou a supervisora.

 Notificação

Uma das preocupações do Cerest tem sido a subnotificação dos casos de LER/DORT no Estado. De 2007 até 15 de fevereiro deste ano, foram registradas somente 365 notificações no Sistema de Informações de Agravos e Notificações (SINAN) em todo o território alagoano.

 “Em 2016 foram 108 casos registrados no Sinan e, desse total, somente 22 municípios, dos 102, fizeram referência ao sistema nacional. É importante que os profissionais de saúde preencham as fichas de agravo de maneira correta, em especial o campo destinado à profissão desse trabalhador, para que possamos investigar as causas do afastamento”, finalizou Gardênia Santana.

Fonte: Cada Minuto ( Maceió)

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*