DOR NAS COSTAS E MÁ POSTURA, PROBLEMAS, QUE JÁ AFETAM A CRIANÇA

0
1003

O que era “coisa de adultos” agora tem afetado também as crianças. Você pode ajudar os pais a cuidarem melhor dessa questão para que seus filhos tenham mais qualidade de vida hoje e na idade adulta.

A vida moderna traz vários desafios ao bem-estar da criança. O uso de tablets, computadores, games na TV e afins acaba comprometendo muitos aspectos de sua saúde quando não há regras, limites nem certos cuidados.

Um dos problemas é a tensão muscular, outro são as dores nas costas, sintomas que antigamente atingiam os adultos e que hoje estão se disseminando entre os pequenos. Então, é hora de agir.

A prevenção começa cedo, ao engatinhar. Aliás, forçar a criança a pular essa etapa de seu desenvolvimento é um erro, comprovado por especialistas. Nessa fase, o bebê fortalece a estrutura óssea, por isso sua importância. Vale aqui a leitura do post Por que engatinhar é importante?

Por isso, caso o bebê se recuse a engatinhar ou tenha dificuldades para coordenar o movimento das pernas e das mãos ao mesmo tempo, usando outras formas de se locomover, como com o bumbum, é preciso prestar atenção. Essa postura pode durar uma fase breve e logo a criança começa a se movimentar normalmente, mas, se isso não acontecer, é preciso descobrir o porquê. Às vezes, uma microlesão dos membros seja o motivo dessa dificuldade. Cuidando dela, o problema é resolvido sem deixar sequelas.

Já crescida, a criança deve evitar algumas posições desfavoráveis à coluna, como ficar muito tempo à frente do computador ou tablet em uma postura inadequada, ou, ainda, fazer a lição de casa na cama.

Dores nos pés ou joelhos, depois de uma breve caminhada, por volta dos três anos, se persistentes podem indicar algum probleminha, como pé chato. Vale investigar também.

Claro que o sedentarismo é outro fator desfavorável para qualquer um que queira manter a coluna em dia. Com a criança é a mesma coisa. Exercícios físicos são fundamentais em todas as etapas do desenvolvimento infantil para que a musculatura seja fortalecida, evitando a má postura, causadora de dores e desconfortos desagradáveis, que se manifestam na vida adulta, como escoliose, cifose ou lordose.

Na sala de aula você pode incentivar a meninada. Sentados ou em pé, mostre-os a importância de manter a coluna ereta. Dobrar levemente os joelhos enquanto ficam em pé por muito tempo também alivia a tensão muscular. Na hora de carregar peso, ensine-os a agacharem dobrando os joelhos e pegando o objeto com as duas mãos. Também corrija aqueles que se sentam com força, na cadeira ou chão, porque o impacto vai machucando a coluna.

Atitudes simples, propostas em uma brincadeira, por exemplo, podem virar um hábito, evitando uma série de complicações na adolescência e na vida adulta.

Outro cuidado é com as mochilas que as crianças levam à escola. Duas dicas importantes: diminuir o peso delas e nunca usá-las em um ombro só, fato que, com o tempo, causa desvios na coluna. Sobre este tema, leia o post Mochilas pesadas versus saúde da criança pequena.

Falando em coluna, agora segue aqui uma inspiração a você para seu trabalho, profissional da Primeira Infância. É a frase do compositor Walter Franco: “Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo”.

Fonte:desenvolvimento-infantil.blog.br (  Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal)

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*