FISIOTERAPEUTA TRILHA CAMINHO INOVADOR

0
3911

Ao imaginar um profissional da Fisioterapia, muito se pensa no fisioterapeuta autônomo, que trabalha com técnicas de massagem. Porém, o mercado tem se expandido cada vez mais, e o profissional pode ser multifacetado, palavra que define muito bem Felipe Fagundes.

Formado em Fisioterapia pela Universidade de Taubaté (UNITAU) desde 2011, Felipe trilha um caminho inspirador em sua carreira: atende em um consultório próprio, ministra aulas de pós-graduação e é dono de um site de streaming de vídeos sobre Fisioterapia.  “Desde o início, tive um envolvimento muito grande com a Universidade, e isso abriu muitas portas para mim, aprendi bastante. A base que a UNITAU me deu foi incrível”, afirma o fisioterapeuta. O grande contato com o ambiente acadêmico, para Felipe, foi, sem dúvida, um enorme diferencial. ”Fui membro do Diretório Acadêmico, participei de duas Ligas Acadêmicas de estudo, realizei estágios internos desde o primeiro ano e fiz projetos de Iniciação Científica”, relembra.

Logo após a formatura, Felipe emendou um Mestrado e um curso de Especialização, além de realizar atendimentos em consultório. Ao finalizar os cursos, já deu início ao Doutorado. “Fiz tudo sem nunca deixar os atendimentos em clínicas”, ressalta.

Ao longo dos anos, Felipe foi consolidando sua carreira clínica junto à docência. “Já experimentei a parte de atendimento e a acadêmica, trabalhei até mesmo na supervisão de estágios na UNITAU”, conta.

Há oito meses, ele enfrenta mais um novo desafio em sua carreira: junto a dois sócios, Felipe criou o FisioPlay, uma plataforma de streaming de vídeos sobre Fisioterapia. Nesse portal, destinado a estudantes e a profissionais da área, são veiculados vídeo-aulas ministradas por professores que são referência, com informações atualizadas, práticas e aplicáveis no cotidiano. “Tem sido uma experiência muito legal, especialmente porque foge do tradicional”, relata.

Para o fisioterapeuta, o mais importante é aproveitar tudo aquilo que é oferecido pela Universidade. “Durantes os anos de graduação, absorvi o máximo que pude”, frisa Felipe. “É importante o fisioterapeuta, ou o aluno, ter um olhar bem amplo para ter um bom entendimento da área, para ele fazer diferença como profissional”.

Por: Heloisa Costa –ACOM/UNITAU

Foto: Leonardo Oliveira/ACOM

Fonte:http://web.unitau.br

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*