FISIOTERAPEUTAS E TERAPEUTAS SÃO ESSENCIAIS NO PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO

1
980

A humanização significa oferecer a todas as mulheres uma liberdade de escolha

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Piauí (Crefito 14) esteve em audiência pública, sobre a importância da humanização do parto na rede de saúde. O encontro foi promovido pelo Ministério Público do Piauí (MP-PI), representado pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), e ocorreu no Auditório da Procuradoria Geral de Justiça.

Representantes dos Conselhos de Psicologia e Enfermagem, OAB-PI, Conselho Estadual de Saúde, Fundação Municipal de Saúde, movimentos sociais, gestantes, dentre outros grupos, participaram da audiência e debateram as principais questões que permeiam sobre o universo da humanização do parto. Mulheres que sofreram desrespeito durante a gravidez também tiveram a oportunidade de se manifestar sobre as suas péssimas experiências neste momento tão delicado da vida.

O presidente do Crefito 14, Marcelino Martins, defendeu a presença do Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional durante a gestação e pós-parto, tendo em vista que são profissionais indispensáveis para a promoção da saúde. Para ele, é preciso também fomentar iniciativas que reduzam a mortalidade infantil e materna no Piauí.

“A violência obstétrica é uma triste realidade no Piauí. Recebemos graves denúncias de mulheres vítimas de abusos de medicação, tratamento desumanizado, além de outros problemas. Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional são de suma importância, tornando o parto cada vez mais natural e satisfatório, porém eles são cada vez mais raros no sistema de saúde. Estamos em estado de calamidade pública, por isso defendemos ações emergenciais para resolver esta grave situação”, destaca Marcelino Martins.

A humanização significa oferecer a todas as mulheres uma liberdade de escolha, prestando um atendimento com foco nas necessidades das pacientes, e não em  crenças. Neste sentido, o médico tem a obrigação de apresentar as opções de parto, com base no histórico do pré-natal, desenvolvimento fetal, ou seja, acompanhamento de todas as etapas, porém sem interferências de cunho pessoal.

Fonte: Capital Teresina

1 COMENTÁRIO

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*