FISIOTERAPIA E ACUPUNTURA VETERINÁRIA: QUANDO DEVEMOS PROCURAR?

0
367

Na atualidade, com o crescimento constante no número de animais de estimação fazendo parte das famílias, o avanço nas condições de tratamentos e a busca por qualidade de vida dos animais, também aumentam. Você já pensou, em, por exemplo, fisioterapia para o seu amiguinho? Pois é, ela existe e traz inúmeros benefícios.

A fisioterapia veterinária tem se consolidado no segmento como uma das mais eficazes formas de ajudar os animais com problemas neurológicos e ortopédicos, além de um excelente auxílio contra a obesidade e na melhoria de condicionamento físico. Sem esquecer de mencionar que é uma ótima terapia na fase pós-operatória, favorecendo o processo de recuperação dos animais que passaram por intervenções cirúrgicas.

As técnicas aplicadas aos animais são semelhantes às utilizadas em humanos. Os equipamentos são adaptados para o tamanho e à necessidade de cada espécie de animal. É importante ressaltar que apenas os Médicos Veterinários podem realizar avaliação do animal e determinar quais técnicas serão adequadas.

A fisioterapia para cães e gatos é indicada quando o veterinário constata que o animal possui algum problema ortopédico – que pode ter sido causado por um acidente ou até mesmo por obesidade e velhice – ou neurológico, que é o caso de algumas doenças genéticas ou adquiridas.

Pacientes com artrites e artroses; rupturas de ligamento; displasia coxofemoral; luxação de patela e que passaram por cirurgias ortopédicas, podem ser beneficiados com a fisioterapia, que ajuda a diminuir o inchaço e dores nesses locais, reduzindo também quadros inflamatórios. Em casos neurológicos, a fisioterapia muitas vezes é essencial para que o animal possa voltar a andar. Também é eficaz nos casos de fraturas, traumas em coluna ou hérnias de disco que comprometem a locomoção, ajudando-o a se recuperar rapidamente e prevenindo sequelas.

Reabilitação por Fisioterapia Veterinária

De acordo com a médica veterinária, Joana Grandó, a reabilitação, que é a capacidade de restabelecer ou restaurar a condição anterior, caminha junto com, tanto a fisioterapia quanto, a acupuntura, pois, ambas buscam a volta da funcionalidade do sistema todo.

Mas, o que é a acupuntura?

A acupuntura veterinária é um procedimento muito parecido com o aplicado nos humanos. Com poucas restrições e muitas vantagens, a acupuntura veterinária é muito indicada para animais idosos, mas, benéfica para os de todas as idades.

Acupuntura Veterinária

Pertence à Medicina Tradicional Chinesa, que engloba técnicas de massagem, exercícios respiratórios, orientação alimentar e a farmacopeia chinesa. A acupuntura consiste na estimulação de pontos específicos do corpo com o objetivo de atingir um efeito terapêutico ou homeostático. Sendo assim uma terapia reflexa onde o estímulo em um ponto de acupuntura gera respostas em outras áreas do organismo.

O objetivo central é a ideia de equilíbrio, tanto no que se refere às funções orgânicas quanto à relação do corpo com o meio externo, sempre levando em consideração a nutrição, hábitos de vida, clima, qualidade do ambiente, entre outras.

Indicações na medicina veterinária:

– Doenças neurológicas;

– Afecções ósseas;

– Doenças metabólicas;

– Neoplasias;

– Doenças dermatológicas, e

– Melhoramento comportamental.

Esse procedimento é pouco invasivo e muito eficaz, principalmente se acompanhado por outros tipos de tratamentos homeopáticos, ou, alopáticos. Não importa a raça, o porte, a idade, o procedimento é indolor e não traz efeitos colaterais, além de não possuir contraindicações.

Restaurar a funcionalidade e a integralidade de um órgão e poder devolver a liberdade de movimento, que é mais uma, dentre tantas formas de expressão das potencialidades do animalzinho, significa possibilitar sua reconexão com a vida.

Por: Joana Grandó Moretto -Médica Veterinária CRMV/RS 9978 -Especialista em Diagnóstico e Cirurgia de Equinos/ Pós- Graduanda em Reabilitação Animal

Marjoriê Cadini -Assecom Centro Clínico Veterinário Bichos.cão

Fonte:http://www.jornalbomdia.com.br

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*