FISIOTERAPIA E ATÉ REMÉDIOS MANIPULADOS: SERVIÇOS PARA ANIMAIS NA GRANDE FLORIANÓPOLIS

0
914
Tratamentos antes exclusivos aos humanos estão cada vez mais comuns para os bichinhos de estimação

 

Os cuidados com os animais de estimação vão muito além da moda ou alimentação. Acompanhando a crescente demanda por produtos e serviços, um veterinário abriu a primeira clínica exclusiva para fisioterapia de pets na Capital. A procura por medicação manipulada para cães e gatos fez um farmacêutico de Palhoça deixar o emprego e abrir a primeira farmácia homeopática da Grande Florianópolis. Em Palhoça, está ainda o único aparelho de tomografia para animais da região. Há menos de um ano o serviço era encontrado somente em Blumenau.

Os tutores têm dado aos animais de estimação um espaço e tratamento que há alguns anos eram reservados a filhos ou familiares. Prova desse comportamento social moderno é a procura por procedimentos especializados para cura de bichinhos que, num passado pouco distante, seriam sacrificados.

Cuidar da saúde de Rei, o labrador com misto de pit bull de 11 anos é tarefa realizada com afeto pela servidora pública Ana Maria Braga, 62 anos. O cão tem displasia coxofemoral e tem apresentado melhoras significativas com as sessões de acupuntura e fisioterapia na esteira aquática. “Ele dorme no meu quarto, que fica no segundo andar da casa. Para que possa chegar até lá ele precisa ficar bom”, explica Ana durante uma das sessões semanais de tratamento na clínica de reabilitação.

Antes da abertura da clínica, o veterinário e fisiatra Lucas Bianchini, 26, atendia Rei em casa. “O que tínhamos na região até então era a oferta de tratamentos dentro de espaços que ofertam vacinas e outros atendimentos vet. Nossa proposta é exclusiva para a reabilitação”, detalhou. Bianchini fez curso de acupuntura e especialização em fisioterapia para cuidar de cães, gatos e outros animais. Um de seus pacientes é um leitão.

Animais passam por tratamentos diferenciados - Daniel Queiroz/ND

Estilo de vida reflete nos animais

Lucas Bianchini diz que a crescente oferta de produtos e serviços se dá porque as pessoas exigem do mercado e o mercado se adequa às necessidades. “Uma sessão de fisioterapia custa em média o dobro do valor do tratamento para humanos, porque não existe uma grande oferta ainda”, afirma.

O veterinário destaca que o estilo de vida, a rotina e a alimentação das pessoas são refletidos na saúde dos animais. “Há alguns anos não tínhamos casos de AVC (acidente vascular cerebral) canino. As doenças surgem neles porque estão com hábitos cada vez mais humanos. Os pets precisam de contato com a grama, com areia, precisam brincar, se sujar e passar menos tempo no colo”, alerta.

Problemas na coluna, no quadril, obesidade e câncer são as principais doenças dos pacientes de Bianchini. Ele ressalta que o sedentarismo, a altura de sofás e camas, que exigem um pulo mais alto dos pets, e alimentação inadequada são em grande parte responsáveis pelo quadro atual de doenças. “Hoje em dia tem oncologista, oftalmologista e uma série de especialidades como as disponíveis aos humanos. Aqui, aplico micropontos de ouro com a acupuntura para ajudar a equilibrar as energias que combatem as inflamações, para citar um exemplo”, detalha. Outro alerta dele é para a alimentação natural para pets, uma tendência crescente entre os tutores que cuidam da própria saúde e preferem alimentos orgânicos.

Hérnia de disco

Uma hérnia de disco prejudicou os movimentos das patas traseiras de Bart, um dos três beagles da contadora Fernanda Cristofoli, 36 anos. Após a cirurgia, o cão recebe aplicação de agulhas e caminha na esteira durante as sessões de reabilitação. “Meu marido morreu há um ano. Meus pets são minha companhia e são como filhos”, reforça a moradora de São José.

Bart ainda se arrasta e usa fralda. No entanto, quando a dona o segura ele caminha normalmente. Na esteira ele também anda. A hérnia de disco tem cinco graus. Até o quarto grau é possível tratar sem cirurgia, segundo o especialista.

Para diagnosticar a doença de Bart, Fernanda teve de ir a Blumenau, em 2014, onde foi feita uma tomografia computadorizada. E, para atender a necessidade da Grande Florianópolis, um hospital veterinário de Palhoça passou a ofertar o exame de alta complexidade, há menos de um ano. Para permitir o funcionamento correto do equipamento foi necessária a instalação de um transformador na rede elétrica da avenida rio Branco, para que o fornecimento da quadra não fosse derrubado. Os ajustes elevaram ainda mais o valor do investimento. O aparelho é o mesmo utilizado para humanos, a diferença está somente no software.

O veterinário responsável pelo hospital Darabás, Charles Ferreira, 36 anos, ressalta que a tomografia é importante para um diagnóstico preciso. “Nosso trabalho é semelhante ao dos pediatras. Assim como as crianças pequenas, os animais não falam, temos de descobrir o que os aflige”, diz. Ferreira aconselha as pessoas a pesquisarem sobre a raça e o manejo dos animais que pretendem adotar ou comprar para que a qualidade de vida do animalzinho seja melhor, evitando-se problemas de pele, ansiedade e outras doenças.

Uma farmácia exclusiva

O farmacêutico Ricardo Penayo, 30 anos, trabalhava em uma farmácia. Ao perceber a crescente procura por medicamentos homeopáticos para cães e gatos, ele decidiu empreender. No dia 7 de setembro, Penayo abriu, com duas sócias, as portas da UP Vet, a primeira farmácia para pets da Grande Florianópolis. “O medicamento manipulado, ou seja, aplicado em biscoitos saborizados, aumenta em 85% a aceitação pelo animal”, diz.

Para os gatos a alternativa é uma pasta veterinária, que é aplicada na pata, onde naturalmente o felino lamberá. Os medicamentos têm sabores de carne, peixe, frango, chocolate ou banana. Beterraba, cenoura e espinafre são as opções naturais para os tutores que preferem alimentação sem conservantes para os pets.

A veterinária Bruna Tedesco, 27, passou a contar, perto de casa, com produtos para cuidar da Tapioca, sua arara. “É difícil encontrar itens para aves silvestres. Agora ficou mais fácil cuidar dela”, conta.

A farmácia ainda oferece xampu a seco, filtro solar, florais de Bach e repelentes. “Com a crescente oferta de recursos à disposição as pessoas vão às últimas esferas para tratar aqueles que são seus filhos. É uma forma de retribuir a companhia e fidelidade”, diz Penayo.

 

Fonte:Notícias do Dia Online

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*