FISIOTERAPIA NO PACIENTE SOB VENTILAÇÃO MECÂNICA

0
683

Physiotherapy on the Mechanically Ventilated Patients

RESUMO
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Em 2000, foi publicado o II Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica. Desde então, o conhecimento na área da ventilação mecânica avançou rapidamente, com a publicação de inúmeros estudos clínicos que acrescentaram importantes informações para o manuseio de pacientes críticos em ventilação artificial. Além disso, a expansão do conceito de Medicina Baseada em Evidências determinou a hierarquização das recomendações clínicas, segundo o rigor metodológico dos estudos que as embasaram. Essa abordagem explícita vem ampliando a compreensão e a aplicação das recomendações clínicas. Por esses motivos, a AMIB – Associação de Medicina Intensiva Brasileira – e a SBPT – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia – julgaram conveniente a atualização das recomendações descritas no Consenso anterior. Dentre os tópicos selecionados a Fisioterapia durante a Ventilação Mecânica foi um dos temas propostos. O objetivo foi descrever os pontos mais importantes relacionados à atuação do fisioterapeuta no ambiente da terapia Intensiva com ênfase na ventilação mecânica.
MÉTODO: Objetivou-se chegar a um documento suficientemente sintético, que refletisse a melhor evidência disponível na literatura. A revisão bibliográfica baseouse na busca de estudos através de palavras-chave e em sua gradação conforme níveis de evidência. As palavras-chave utilizadas para a busca foram: mechanical ventilation e physical therapy. RESULTADOS: São apresentadas recomendações quanto aos principais procedimentos fisioterápicos, as técnicas e suas aplicações.
CONCLUSÕES: A fisioterapia ocupa hoje papel relevante no ambiente da terapia intensiva, principalmente para os pacientes sob ventilação mecânica invasiva ou não invasiva. Unitermos: fisioterapia respiratória, Ventilação mecânica não-invasiva, ventilação mecânica.
SUMMARY
BACKGROUND AND OBJECTIVES:
The II Brazilian Consensus Conference on Mechanical Ventilation was published in 2000. Knowledge on the field of mechanical ventilation evolved rapidly since then, with the publication of numerous clinical studies with potential impact on the ventilatory management of critically ill patients. Moreover, the evolving concept of evidence – based medicine determined the grading of clinical recommendations according to the methodological value of the studies on which they are based. This explicit approach has broadened the understanding and adoption of clinical recommendations. For these reasons, AMIB – Associação de Medicina Intensiva Brasileira and SBPT – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia – decided to update the recommendations of the II Brazilian Consensus. Physical therapy during mechanical ventilation has been one of the updated topics. This objective was described the most important topics on the physical therapy during mechanical ventilation.
METHODS: Systematic review of the published literature and gradation of the studies in levels of evidence, using the key words: mechanical ventilation and physical therapy. RESULTS: Recommendations on the most important techniques applied during mechanical ventilation.
CONCLUSIONS: Physical therapy has a central role at the Intensive Care environment, mainly in patients submitted to a mechanical ventilatory support invasive or non invasive.
Key Words: mechanical ventilation, physical therapy, noninvasive ventilation.
Por: George Jerre1 , Marcelo A. Beraldo2 , Thelso de Jesus Silva3 , Ada Gastaldi4 , Claudia Kondo5 , Fábia Leme6 , Fernando Guimarães7 , Germano Forti Junior8 , Jeanette J. J. Lucato9 , Joaquim M. Veja10, Alexandre Luque11, Mauro R. Tucci12, Valdelis N. Okamoto13
1. Professor do Curso de Fisioterapia da Universidade de Santo Amaro UTI Geral do Hospital Nossa Senhora de Lourdes (SP)
2. Laboratório de Pneumologia Experimental do Hospital das Clínicas da FMUSP. UTI – Geral do Hospital Nossa Senhora de Lourdes (SP)
3. Coordenador do Curso de Especialização em Fisioterapia Pneumofuncional da UCB/Atualiza (BA)
4. Professora do Curso de Fisioterapia da Universidade de São Paulo – Ribeirão Preto (SP)
5. UTI Geral do Hospital Sírio Libanês (SP)
6. Centro Universitário São Camilo (SP)
7. Professor do Curso de Fisioterapia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ)
8. Prof. do Curso de Fisioterapia da Universidade Metodista de São Bernado – SP
9. Fisioterapeuta da UTI do trauma do HCFMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo)
10. Prof. do Curso de Fisioterapia da Universidade Metodista de São Bernado (SP)
11. Centro Universitário São Camilo (SP)
12. UTI do Hospital AC Camargo e UTI-Respiratória do Hospital das Clínicas da FMAUSP (SP) 13. UTI do Hospital AC Camargo (SP)
Fonte: Researchgate

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*