FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DA FLACIDEZ DE PELE E REABILITAÇÃO PÓS-CIRÚRGICA

0
1390

Nada mais comum que após um tratamento para emagrecer ou cirurgia bariátrica surja a flacidez de pele. Essa flacidez é decorrente do déficit de tonicidade da pele – perda do colágeno e elastina que a sustentam.  A intensidade da flacidez depende de alguns fatores, como quantidade de peso perdida, elasticidade da pele, idade, hábitos nutricionais, exposição solar, fatores genéticos, tabagismo, gestação, entre outros.  Por exemplo, podemos comparar a pele de um jovem que emagrece poucos quilos e possui boa tonicidade, com ótima sustentação, e a de uma pessoa idosa, que é fumante e possui hábitos de exposição constante à luz solar. Esta última será uma pele já com pouca tonicidade e ressecada pela luz solar e pelo cigarro.

Apesar de ser difícil tonificar uma pele flácida, existem tratamentos, aparelhos e hábitos nutricionais que auxiliam muito nesse aspecto.

Fibroblastos: a principal função do fibroblasto é produzir o colágeno necessário para os nossos tecidos, auxiliando na reparação tecidual e sustentação das fibras da pele. Tratamentos com radiofrequência ativam a produção de colágeno pelos fibroblastos, tornando a pele com aspecto mais viçoso e íntegro.

Cicatrização pós-cirúrgica e fisioterapia: a fase de cicatrização pós-cirúrgica, geralmente, é uma incógnita para a maioria das pessoas. Receios e medos relacionados à cicatrização são comuns, pois tanto a cicatrização interna dos tecidos como a cicatriz exposta em si é um trauma do tecido conjuntivo.

Dor: a dor trata-se de uma experiência única e difere muito de uma pessoa para outra, mas, geralmente, ela é mais intensa nos três primeiros dias de pós-operatório e a fisioterapia auxilia bastante nesse aspecto. Novas posições que precisam ser adotadas em função do ato cirúrgico geram desconforto e dores musculares que, com o auxílio da fisioterapia, normalmente são amenizados de forma mais rápida que com algumas medicações. Nesse sentido, a terapia manual e alongamentos suaves são bastante eficazes.

Cuidados com a cicatriz: o aspecto de uma cicatriz varia muito, dependendo da cor da pele, fatores genéticos, uso de algumas medicações e hábitos diários de vida. Entre os cuidados mais utilizados na fisioterapia, estão a prevenção e os tratamentos de cicatrizes com fibrose (cicatriz rígida e sem movimento). A fibrose não tratada causa dor e desconforto, além do aspecto estético que pode ficar comprometido.

Hidratação: por ser a cicatriz um tecido novo, com novas fibras de colágeno justapostas, precisará de hidratação para um bom aspecto e elasticidade. Normalmente, são indicados produtos com rosa mosqueta, entre outros componentes que afinam e mantem boa flexibilidade da cicatriz. Além disso, é bastante importante evitar exposição solar pelo período de seis meses pós-cirurgia, prevenindo, assim, a hiperpigmentação (cicatriz avermelhada)  e hipertrofia da cicatriz (alteração do volume).

Por: Artigo escrito pela Fisioterapeuta Letícia Teixeira, Graduada em Terapia Manual e Postural pelo Instituto Salgado de Saúde integral e em Fisioterapia Dermatofuncional

Fonte: Diario da Manha.

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*