NotíciasSaúde

FISIOTERAPIA OROFACIAL NO PÓS-OPERATÓRIO DE IMPLANTES DENTÁRIOS

Nos últimos anos, têm sido possível a reposição de dentes ausentes, através da utilização de implantes osseointegrados como suporte para próteses. A osseointegração é definida como: “uma conexão direta estrutural e funcional entre tecido ósseo normal viável e implante em função”. Segundo a Câmara técnica de fisioterapia orofacial, a fisioterapia buco-maxilo-facial trata-se de uma: “especialidade da Fisioterapia com conhecimentos e técnicas específicas para aliviar dores na face, região oral, cabeça e região cervical, além de reestabelecer a função das articulações temporomandibulares, dos músculos mastigatórios e as regiões citadas”. A atuação fisioterapêutica irá contribuir no pós-operatório (PO) de pacientes submetidos à implantodontia, nas condições clínicas como edema, equimoses, parestesia ( diminuição da sensibilidade), dor, aderência tecidual e rigidez muscular.

Alguns pacientes submetidos colocação de implantes dentários podem relatar no pós-operatório um incomodo devido à uma “sensação de peso” na face, isso deve-se à o acúmulo de líquido ocasionado pelo edema. Portanto, a realização da drenagem linfática manual contribui de forma positiva para a melhora deste quadro. Geralmente, com poucos atendimentos os pacientes relatam melhora significativa.

Outra condição clínica frequente é a parestesia ,uma condição localizada de insensibilização da região inervada pelo nervo em questão, que ocorre quando se provoca a lesão dos nervos sensitivos.Seu principal sintoma é a ausência de sensibilidade na região afetada, mas, em estágios mais evoluídos da parestesia, o paciente poderá relatar sensibilidade alterada ao frio, calor e dor, sensação de dormência, formigamento, “fisgadas” e coceira. Em pacientes submetidos à implantodontia, esta condição ocorre geralmente devido ao comprometimento do nervo alveolar inferior, o qual é um ramo do nervo mandibular que possui duas ramificações, o nervo incisivo e o nervo mentoniano.

 O uso de um laser de baixa intensidade tem sido utilizado no tratamento de distúrbios sensitivos de longa duração do nervo alveolar inferior, pois ele é capaz de reagir com proteínas fotossensíveis presentes em diferentes áreas do sistema nervoso, recuperando os tecidos nervosos ou afetando a percepção da dor em nervos sensitivos.
Por: Ely Carvalho – CREFITO 117.151  – Recife, Pernambuco – Fisioterapeuta formada pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) em 2007.2. Pós-Graduada em Terapia Manual e Postural pela Escola de Terapia Manual e Centro Universitário de Maringá (CESUMAR) – PR. Formação em Reeducação Postural Sensoperceptiva pelo método Reposturarse – MG; Kinesio Taping Therapy; Drenagem linfática manual.
Fonte: Ely Carvalho fisioterapia
Tags
Mostrar mais

Fisioterapia.com

Encontre no Portal Fisioterapia.com uma grande variedade de notícias, artigos, oportunidades e serviços exclusivos para Profissionais e Acadêmicos de Fisioterapia ou interessados pela área.

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close