A FISIOTERAPIA VISTA POR OUTRO ÂNGULO

0
385

Na atualidade, existem diversos métodos de avaliação, fator que causa controvérsia na escolha de qual o melhor método a ser utilizado com os pacientes. É sempre recomendado ter uma boa avaliação para que, em seguida, se defina qual é o tratamento adequado obtendo assim melhores resultados durante a terapia.

Defina a metodologia de atendimento!

Antes de realizar uma avaliação, ou iniciar um tratamento, é importante definir uma metodologia. Baseado nas informações que os pacientes relatam em suas primeiras consultas, os profissionais se perguntam sobre qual a melhor forma de tratar determinada patologia apresentada. A informação da queixa dos pacientes serve como primeiro passo a ser dado para inicio das avaliações.

Porém, muitos profissionais não seguem um método que tenha uma comprovação científica, a qual garante maior eficácia durante o tratamento. Este fato, muitas vezes, passa insegurança para os pacientes e não assegura devida credibilidade ao profissional. Não existe uma “Receita de Bolo” para se realizar um atendimento, mas quando ele é padronizado sua agilidade e eficácia são maiores. Os métodos podem ser criados pelo próprio profissional ou buscando conhecimento na literatura, ou em experiências de sucesso com outros profissionais na mesma área de atuação.

“Ter método aperfeiçoa e qualifica os processos”

A transformação da Fisioterapia

Não basta ter um grande número de pacientes, assim como, ter um bom atendimento. No mundo moderno se faz necessário uma evolução diária e nela devemos apresentar muita transparência com os pacientes, a qual é atingida mostrando resultados em números, explicando o porquê da escolha entre “essa ou aquela” terapia. Além disso, é necessário saber como passar a informação para o paciente explicando porque ele deve ser atendido em sua clinica e não em outra. O diálogo com o paciente é tão importante na hora do atendimento como na hora de cativá-lo.

Portanto, além de uma metodologia que envolva avaliação, o tratamento é também necessário que exista uma gestão clinica eficiente. O conjunto dessas informações possibilita que o profissional aumente o número de atendimentos e assim como o índice de satisfação dos pacientes, trazendo valorização ao trabalho do profissional, e principalmente fidelização pela credibilidade e transparência transmitidas.

A partir do momento que o profissional, além de atender seus pacientes, entende que ele deve assumir novas responsabilidades, por exemplo, buscar novos conhecimentos sobre tratamentos, tudo se torna mais claro e fácil.

“Não basta evoluir, tem que transformar”

Fisioterapeuta sendo Gestor de seu negócio

Para que exista uma verdadeira transformação dos atendimentos, é necessário que o fisioterapeuta se veja como administrador do seu negócio, buscando rentabilidade nos atendimentos, tendo boas noções de quantos pacientes é necessário conquistar e quanto deve ser o valor de seus atendimentos.

A partir do momento em que o fisioterapeuta se enxergar, não somente como profissional de saúde, mas sim também um empresário, as decisões estratégicas de sustentação e crescimento de seu negócio serão obtidas com maior chance de sucesso. O Fisioterapeuta tem que buscar o diferencial para seu negócio, o qual pode ser o investimento em tecnologia, pois este é um cenário atual o qual aumenta o valor percebido pelo atendimento fornecido.

O uso de equipamentos tecnológicos e de última geração é parte fundamental desse negócio, porém é necessário que o Fisioterapeuta se informe em relação à existência de tais tecnologias e se instrua em relação ao uso das mesmas de forma a tirar total proveito do que elas oferecem. O Fisioterapeuta deve parar de pensar o quanto custa um produto, mas sim o que se pode ganhar investindo nele.

A escolha por trabalhar com convênio ou atendimento particular, faz parte de uma tomada estratégica de decisão que pode ser a diferença entre manter ou não uma clínica aberta. O que deve se concentrar é no investimento, na evolução e na transformação.

“Nunca se deve apostar todos os ovos numa mesma cesta”

Tecnologia em benefício dos atendimentos

A tecnologia envolvida no dia-a-dia da fisioterapia acaba se tornando algo fundamental. Um Fisioterapeuta bem atualizado está sempre um passo na frente, rumo ao sucesso. A análise em números dos resultados através de técnicas, que possuem evidência científica, se torna essencial. Isso tudo acontece porque os pacientes enxergam, através de números e dados, o seu problema e o seu resultado, fazendo sentido à busca do serviço de fisioterapia.

Nas fisioterapias convencionais, na qual os dados não são quantificados, e é tratado de forma subjetiva, o paciente tende a se afastar do tratamento em um menor espaço de tempo e isso é causado, muitas vezes, pela falta de ferramentas que não permitem quantificar dados importantes na tomada de decisão. Essa decisão da terapia correta permite a diminuição no tempo da terapia.

Uma das ferramentas que podem ser utilizadas para quantificar atividades musculares, durante uma atividade funcional, é a eletromiografia de superfície e o biofeedback. Através da Eletromiografia de Superfície se determinam diversos parâmetros da contração muscular, permitindo um auxílio diagnóstico preciso, auxiliando na elaboração de protocolos que vão gerar melhor resposta durante o tratamento. A Eletromiografia e o biofeedback podem ser inseridos como parte da metodologia adotada para os atendimentos, sempre com um intuito de agregar valor aos procedimentos.

“Tecnologia, sua mais nova aliada”

O Futuro é o agora e não o amanhã!

As tecnologias, que há pouco tempo estavam presentes somente em filmes de ficção científica, estão ao alcance de nossas mãos, bastando informação para alcançá-las. Um fator que faz os pacientes se afastarem dos tratamentos convencionais é, muitas vezes, a monotonia gerada pelos mesmos. Mas quem disse que uma sessão de fisioterapia não pode ser divertida? Já existem formas de colocar os pacientes “imersos” em cenários de realidade virtual, nos quais eles esquecem que estão em um tratamento e se colocam em um desafio contra eles mesmos. A meta é que eles se superem a cada dia, como se estivessem em um jogo de vídeo game, com a diferença que o comando dos jogos é dado pela própria ação muscular que é captada por sensores conectados a musculatura.

E agora, será que você vai ter que mandar o paciente embora de sua clínica após o tratamento? Fica a pergunta para que você responda. Uma coisa é certa, se não podemos contra ela (Tecnologia) vamos nos aliar e tirar o máximo proveito.

“O lema é : Vamos nos divertir!”

 

 

Fonte: Miotec

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*