FISIOTERAPIA X PSORÍASE

0
1183

É uma doença inflamatória da pele, benigna,crônica, não contagiosa onde ocorre um aumento exagerado na produção de suas células epidérmicas, ocorrendo o acúmulo na camada mais superficial da epiderme. O período de produção e descamação em uma pessoal sem psoríase é de mais ou menos 21 dias, numa pessoa com psoríase esse período descamativo é de 3 a 4 dias.

Etiopatologia:

 A causa é desconhecida mais se acredita ser de origem genética, envolvendo também alteração do sistema imunológico a depender de fatores desencadeados para o aparecimento ou piora.

Incidência:

 Ocorre em 1 a 2% da população mundial, prevalência igual para homens e mulheres. Tendo prevalência antes de 30 anos e após dos 50 anos.

Manifestações Clínicas:

 Depende do tipo da psoríase que o paciente desenvolveu.

Psoríase Vulgar ou em Placas:

Lesões de tamanhos variados, delimitados, avermelhados com escamas secas e aderentes, prateadas ou acinzentadas, ocorrendo nas regiões do joelho, cotovelo e tornozelo.

Psoríase Invertida:

 Lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras, entre as mamas ou abaixo, virilha, nádegas, couro cabeludo,etc.

Psoríase Gutata:

 Lesões em forma de gotas associados a processos infecciosos, amigdalite, estafilococos, etc. arredondadas com conteúdo líquido.Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens.

Psoríase Eritrodérmica:

 São as mais graves lesões generalizadas em todo o corpo, quase 70%.Apresenta de forma de escamas prateadas com bordas avermelhadas.

 Psoríase Ungueal:

 Acometimento das unhas que podem apresentar-se em depressões puntiformes e amareladas.

Psoríase Artropática:

 Esse tipo de psoríase pode ocorre associado com os outros tipos de psoríase, acontecem com os comprometimentos assimétricos das articulações causando dores e deformidades, pequenas articulações com nos dedos e nas grandes articulações são acometidas, não tendo o fator reumático associado só os sintomas.

 Psoríase Pustulosa:

 Lesões com pus localizadas no troco e nas coxas nos pés e nas mãos.Ou localiza-se por todo corpo.

Psoríase Palmo Plantar:

 Lesões características nas palmas das mãos ou na plantas dos pés de coloração avermelhadas e descamativas.

Tratamento:

 Não existe a cura para Psoríase, mas o tratamento serve para amenizar seus sinais e sintomas. Não há como prevenir a doença, embora seja possível controlar a reincidência.

O tratamento por medicação tópica é indicado quando a poucas lesões de pele. O uso de loções e cremes que possuam vitamina A, Alcatrão e Ácido Retinoico são úteis para minimização dos efeitos como coceira e vermelhidão, ajudando com a redução da replicação celular.

Medicamentos por via oral só são introduzidos nos casos mais graves de psoríase refratária a outros tratamentos.

 Fisioterapia e Psoríase:

 O tratamento e as sessões serão de acordo com a localização e características das lesões.

Fototerapia:

 A utilização dos raios UV nas lesões psoriáticas. A UVA pode associar à medicação sistêmica para se absorvido mais rapidamente. A UVB serve tem como efeito a diminuição celular.São realizados em clínicas especializadas e sob rigorosa orientação médica.

 Laser:

 O indicador é 904 nm para diminuir o fator inflamatório, favorecer a cicatrização.

 Alta Freqüência:

 Esse aparelho ajuda na cicatrização das feridas, pois age como bactericida e antiinflamatório para a pele.

 Os recursos de eletrotermoterapêuticos, hidroterapia(quando não tiver na fase crônica) , mobilização intra articular (MIA) nas articulações, exercícios de flexibilidade e força muscular :

 Devem ser aplicados como recursos na Psoríase Artropática.

Orientações:

Sempre manter a lesão limpa;

Sem risco de contágio;

Não arrancar as crostas, elas caem sós ;

A exposição solar é benéfica, desde que seja de forma correta, de 15` a 20` diariamente, mas antes passe um creme hidratante ou terapêutico;

Alterações psíquicas agravam os sintomas;

Evite a ingestão de bebidas alcoólicas;

Não realizar procedimento como peeling mecânico (esfoliação), químico na face quando o paciente encontra-se na fase crônica;

Sempre manter a pele Hidratada para evitar seu ressecamento excessivo que favorece a possibilidade de desenvolver lesões;

Visite regularmente o dermatologista e siga à risca suas orientações. Isso o ajudará a controlar as crises.

Referências:

  • drauziovarella.com.br
  • Guirro E,Guirro R.Fisioterapia dermato-funcional:fundamentos,recursos e patologias.ed.Manole,2002.

Fonte:dermeluz

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*