HIDROCINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO DE UM LACTENTE COM SÍNDROME DE DOWN: ESTUDO DE CASO

0
192

Hydrotherapy at physiotherapy treatment for an infant with Down Syndrome: a case study

Resumo

Introdução: Os deficit sensoriais presentes na Síndrome de Down podem interferir no controle da postura, movimentos, equilíbrio e coordenação, por isso é importante a intervenção fisioterapêutica, porém a literatura é escassa em relação aos efeitos da terapia aquática. Objetivo: Investigar a eficácia da hidrocinesioterapia como método complementar de tratamento fisioterapêutico na aquisição de habilidades motoras grossas de um lactente com Síndrome de Down e deficiência auditiva. Materiais e métodos: Participou da pesquisa um lactente com Síndrome de Down, sexo masculino, 1 ano e 4 meses de idade, com perda auditiva bilateral de grau severo. O desenvolvimento motor foi avaliado por meio da Alberta Infant Motor Scale (AIMS), na pré-intervenção e nas Etapas I e II da pós-intervenção. Na Etapa I, foi realizada a intervenção em solo, baseada no conceito neuroevolutivo; na Etapa II, intervenção em solo e na hidrocinesioterapia. Totalizaram ambas as etapas 24 sessões. Resultados: Após as Etapas I e II, foi observado aumento de três pontos no escore bruto da AIMS, passando de 11 para 14 habilidades na Etapa I, e a 17 habilidades na Etapa II. Após a Etapa I, ocorreram ganhos de um ponto nos escores das posturas supino, sentado e em pé, e após a Etapa II, ganho de um ponto no escore da postura prona e dois na postura sentada. Conclusão: A interven- ção hidroterapêutica propiciou a estimulação sensorial e o aprimoramento do controle e do fortalecimento dos músculos do tronco do lactente com Síndrome de Down, refletindo melhor desempenho motor nas posturas antigravitacionais, prona e sentada.

Palavras-chave: Síndrome de Down. Reabilitação motora. Hidroterapia. AIMS.

Abstract

Introduction: The sensorial deficits presented at Down Syndrome may interfere in the posture control, movements, balance and coordination. Therefore, it the physiotherapy intervention is important. However, the literature is scarce regarding the aquatic therapy effects. Objective: To investigate the effectiveness of hydrokinesiotherapy such as a complementary method of physiotherapy treatment in the acquisition of gross motor skills in an infant with Down Syndrome and hearing deficiency. Materials and methods: One infant with Down Syndrome, male, 1 year and 4 months old, with severe bilateral hearing deficiency participated of this study. The gross motor development was assessed by Alberta Infant Motor Scale (AIMS), which was applied in pre-intervention and in Step I and II post-intervention. Step I was physiotherapy intervention on the floor based on Neuroevolutive Concept. Step II was Neuroevolutive Concept plus hydrokynesiotherapy. Both the steps were conducted in 24 sessions. Results: After Step I and II, there was an increase of three points in total score of AIMS, ranging from 11 to 14 and from 14 to 17, respectively. After Step I, one point increased in postures supine, sitting and standing; one and two points increased in the posture prone and sitting respectively, after Step II. Conclusion: Hydrokinesiotherapy improved the sensorial stimulation and control and strengthening of muscles of the trunk, reflecting a better motor performance of antigravity postures, prone and sitting.

Keywords: Down Syndrome. Motor rehabilitation. Hydrotherapy. AIMS.

Por: Aline Maximo Toble[a], Renata Pedrolongo Basso[b], Andréa Cristina Lacerda[c], Karina Pereira[d], Eloisa Maria Gatti Regueiro[e]

[a] Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia em Neurologia do Centro Universitário de Araraquara (Uniara), Araraquara, SP – Brasil.

[b] Fisioterapeuta, doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP – Brasil.

 [c] Fisioterapeuta, especialista em Intervenção em Neuropediatria pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP – Brasil.

[d] Professora adjunta da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG – Brasil.

[e] Fisioterapeuta, doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), professora do Programa de Graduação e Pós-Graduação em Fisioterapia do Centro Universitário Claretiano, Batatais – SP e do Centro Universitário Unifafibe, Bebedouro, SP – Brasil.

Fonte: Fisioter. Mov., Curitiba, v. 26, n. 1, p. 231-238, jan./mar. 2013 / http://www.scielo.br

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*