A LESÃO LABRAL DO QUADRIL

0
4465

Muito se avançou nestes últimos anos não só no diagnóstico mas também no tratamento deste tipo de lesão. Fica claro então porque se ouve falar cada vez mais e mais sobre o tema. Esportistas de renome tiveram suas carreiras interrompidas devido ao fracasso no seu tratamento.

Mas porque ocorre uma lesão nesta estrutura do quadril ?

Antes de tentarmos entender a lesão precisamos entender um pouco a respeito da articulação do quadril.Trata-se de uma articulação do tipo esferóide ou seja, que pode se movimentar em todos os planos, o que confere a ela uma característica peculiar relacionada a sua estabilidade. Algumas estruturas são responsáveis por essa estabilidade dentre elas o labrum acetabular ou simplesmente lábio do acetábulo.

É uma estrutura composta de fibrocartilagem que envolve a articulação quase que na sua totalidade (figura 1)  e além de aumentar a estabilidade , promove o que nós chamamos de propriocepção ou seja , informa ao cérebro qual a posição que a articulação se encontra no espaço sem que precisemos olhar para ela.

Figura 1 – Lábio acetabular

O lábio acetabular é uma estrutura altamente inervada e pouco vascularizada o que leva a um quadro de dor se houver qualquer lesão em seu conteúdo sendo muito difícil a sua cicatrização.Normalmente a lesão ocorre devido a uma condição de agressão a longo prazo do labrum e está relacionada a alguns pacientes portadores de uma anatomia específica de seus quadris.A prática desportiva sem dúvida pode também aumentar a possibilidade de uma lesão labral e os esportes mais relacionados são aqueles que envolvem movimentos de rotação do quadril ou que necessitam de mudanças bruscas de direção.

Podemos citar então: esportes de contato como artes marciais , hockey no gelo, futebol, rugby entre outros. Esportes que necessitam de uma rotação vigorosa do quadril como o golfe , tennis , esgrima e dança( ballet).

Os sinais e sintomas normalmente sentidos por aqueles que apresentam uma lesão labral são variados e podem começar durante a prática desportiva ou não. A dor é o principal , geralmente na parte anterior do quadril ou na região inguinal (figura 2), e aparece de forma progressiva. Ressaltos , “cliques” ou bloqueios da articulação também podem ser sentidos porem são menos freqüentes.

Para fazer o diagnóstico o médico deve realizar um exame físico detalhado com algumas manobras específicas que podem alertar para a patologia, porem um exame de imagem ( Artro- Ressonância Magnética) é fundamental para se estudar o tipo de lesão e programar o tratamento.

Figura 2- local tipico da dor

Uma vez diagnosticada uma lesão no labrum acetabular deve ser iniciado o tratamento que consiste na fase inicial em um programa de analgesia. A fisioterapia deve ser iniciada nesta fase visando o fortalecimento da musclatura e uma melhora da propriocepção. As atividades físicas devem ser diminuídas e os movimentos que causam dor evitados.

Na falha do tratamento conservador pode estar indicado um procedimento cirúrgico chamado artroscopia que consiste na introdução de uma pequena câmera na articulação do quadril seguida de instrumentos maleáveis que podem retirar a parte lesada do lábio acetabular ou repará-lo através de uma sutura ou reinserção dependendo do tipo de lesão apresentada. Durante a artroscopia , a articulação do quadril pode ser completamente examinada a procura de outras lesões que podem estar associadas à lesão labral , como defeitos na cartilagem da articulação , no ligamento da cabeça femoral ou ainda corpos livres soltos. Pode-se ainda realizar a correção do defeito ósseo anatômico que eventualmente está presente e pode ser a causa da lesão.

                                        Figura 3 Artroscopia de Quadril

Após a cirurgia , o paciente deve ficar durante algum tempo utilizando-se de muletas variando de acordo com o procedimento realizado. Imediatamente deve também ser iniciada a reabilitação ,baseada em protocolo específico que pode variar de cirurgião para cirurgião. O retorno às atividades normais e ao esporte depende de cada caso , porem está diminuindo graças as novas técnicas empregadas.

Mas a lesão labral pode ser evitada?

Essa é a grande pergunta feita nos dias de hoje e a resposta ainda esta longe de der obtida , porem o fortalecimento de todos o grupos musculares da região, o aumento da propriocepção da articulação , a descoberta da possível causa da lesão ou do gesto esportivo causador, parecem ser a melhor forma de evitá-la .Seu diagnóstico precoce ainda é hoje a melhor forma de se proteger de um problema maior no quadril.

Autor: DR. Andre Wever, médico ortopedista especialista em cirurgia do quadril.

Referencias :

Czerny C, Hofmann S, Neuhold A, et al. Le- sions of the acetabular labrum: accuracy of MR

imaging and MR arthrography in detectionand staging. Radiology 1996; 200:225–230.

Harris, W.W.: Etiology of osteoarthritis of the hip. Clin Orthop: 20-33, 1986.

Ikeda, T., Awaya, G., Suzuki, S. et al: Torn acetabular labrum in young

patients. Arthroscopic diagnosis and management. J Bone Joint Surg

[Br] 70: 13-16, 1988.

Lage, L.A., Patel, J.V. & Villar, R.N.: The acetabular labral tear: an arthroscopic

classification. Arthroscopy 12: 269-272, 1996.

Villar, R., Edwards, D. & Lomas, D.: Comparison of MRI and hip arthroscopy

in diagnosis of disorders of the hip joint. J Bone Joint Surg

[Br] 7: 52, 1994 (Suppl I). 2007 ANNUAL MEETING

INSTRUCTIONAL COURSE LECTURE HANDOUT Course Number: 406 Course Title: Hip Arthroscopy:

Advanced Surgical Techniques

Fonte:http://adrianoleonardi.com.br/ – CRM/SP 99660 -Médico ortopedista e traumatologista do esporte.Mestre em ortopedia e traumatologia pela Santa Casa de São Paulo.

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*