Áreas de AtuaçãoSaúde Geral

MANUAL BÁSICO DE PREVENÇÃO A LER (LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS)

O que são LER?

É o nome dado às lesões em tendões, músculos e nervos ocasionadas pela solicitação contínua, excessiva, repetitiva e/ou prolongada de determinado(s) segmento(s) do corpo de um indivíduo. Podem ocorrer:
Tenossinovites
Tendinites
Bursites
Epicondilites
Cervicalgias
Dorsalgias
Lombalgias
Neurites por compressão
Os principais sintomas são dor (dedos, punhos, antebraços, ombros e pescoço), contração da musculatura, inchaço (edema), formigamento, dormência, podendo chegar à perda de força ou de movimentos do segmento afetado.

O QUE SÃO TENOSSINOVITES?
Movimentos repetitivos aquecem os tendões das mãos, punhos e antebraços e as bainhas que os revestem. Eles perdem a sua lubrificação natural e se inflamam.

MEDIDAS PREVENTIVAS

Para se prevenir das LER deve-se adotar as seguintes medidas:
Posto de Trabalho – deve permitir a adoção de posturas confortáveis sem constranger a livre movimentação:
A – o ângulo formado pelos braços com os antebraços próximo de 90º;
B – a região dos punhos apoiada e na mesma linha (reta) dos antebraços, evitando-se angulações e desvios laterais;
C – joelhos em nível pouco acima das articulações dos quadris;
D -os pés totalmente apoiados sobre o piso ou em suporte próprio para os mesmos;
E – a região lombar apoiada no encosto próprio da cadeira.

Para tanto, a cadeira deve ter as seguintes características:

Assento:
deve ser relativamente duro e regulável na altura;
ter bordas frontais arredondadas;
a sua profundidade deve ser menor do que a coxa;
a sua altura deve ser menor que a altura da perna do usuário, para evitar a compressão das coxas.
Apoio para as costas:
o encosto deve ser ajustável e cobrir a região lombar, com ligeira concavidade.
A mesa:
deve ter superfície de trabalho com espaço suficiente para as diferentes atividades exercidas e para movimentar os equipamentos, colocando-os na posição mais confortável;
deve permitir movimentação dos membros inferiores.
Os equipamentos (monitor, teclado e tela) devem oferecer as seguintes condições:
o monitor deve ficar na frente do operador e estar ligeiramente abaixo da linha dos olhos;
a tela não pode sofrer reflexos decorrentes da luz ambiente;
o teclado deve ser separado do resto do equipamento, ser compatível com a função executada e ser facilmente colocado no lugar de preferência do operador;
o contraste entre os caracteres e o fundo da tela deve ser adequado.As condições ambientais devem obedecer aos seguintes requisitos:
a iluminação deve ser adequada às tarefas executadas e distribuída uniformemente no ambiente, de forma a evitar reflexos e contrastes;
a temperatura efetiva deve ser mantida entre 20ºC e 23ºC;
a umidade relativa do ar não pode ser inferior a 40%;
o nível de ruído para efeito de conforto deve ser no máximo de 65 decibéis.
Organização do Trabalho
Deve-se evitar:
permanência contínua na posição sentada ao longo da jornada de trabalho;
realização da mesma atividade repetidamente durante toda a jornada de trabalho;
ausência de pausa para descanso (recuperação);
excesso de horas trabalhadas;
exigência de produção, impondo ritmo acelerado de trabalho, com controle direto;
estímulo à competitividade exagerada;
falta de treinamento para a função.
Porque podem gerar:
fadiga músculo-articular, fadiga visual e mental;
frustração e insatisfação;
tensão constante e ansiedade;
insegurança e medo;
conflitos com chefias e colegas.
INFORMAÇÕES IMPORTANTES
O diagnóstico das LER é essencialmente clínico e relacionado com exame físico, condições de trabalho e freqüência de casos semelhantes ocorridos na mesma área. Até o momento, não há exame complementar específico para confirmar o diagnóstico das LER.
O retorno ao trabalho após a alta do INSS deve ser gradual:
1º ao 3º dia: realizar somente 1 hora de trabalho com movimentos repetitivos, mantendo-se um esquema de pausa de descanso maior, completando o horário de trabalho com outra atividade que não exija esforços repetitivos;
a partir do 4º dia, aumentar progressivamente o período de atividades com movimentos repetitivos, obedecendo, no entanto, o ritmo de 10 minutos de descanso para cada 50 minutos trabalhados.
Para o funcionário que retorna de férias ou de afastamento por qualquer outro motivo superior a 15 dias, recomenda-se:
1º ao 3º dia: esquema de pausa de descanso de 10 minutos para cada 20 minutos trabalhados;
a partir de 4º dia, ritmo de atividade normal, obedecendo as pausas de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados.
Fonte: fisiomarcelopediatrica
Tags
Mostrar mais

Fisioterapia.com

Encontre no Portal Fisioterapia.com uma grande variedade de notícias, artigos, oportunidades e serviços exclusivos para Profissionais e Acadêmicos de Fisioterapia ou interessados pela área.

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conferir também

Close
Close