MODALIDADES TERAPÊUTICAS PARA RECUPERAÇÃO DA MUSCULATURA DO ASSOALHO PÉLVICO DA MULHER

0
1102

Resumo

As modalidades terapêuticas para treinamento da musculatura do assoalho pélvico da mulher, com o conteúdo de estudo e informações obtidas de pesquisas para realizar o trabalho ficou claro a importância do treinamento da musculatura a fim de manter a tonicidade e evitar enfermidades causadas pela fraqueza desses músculos. Este trabalho tem o papel de descrever a importância da fisioterapia na recuperação da musculatura pélvica com suas modalidades terapêuticas, baseado em uma revisão da literatura. De acordo com o que foi pesquisado, conclui-se que a hipotonicidade da musculatura do assoalho pélvico é um problema que interfere diretamente na qualidade de vida da mulher e a fisioterapia deve ser vista como o primeiro recurso de tratamento para o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico, pois se trata de um método não invasivo que conta com ótimos recursos e técnicas para o fortalecimento da musculatura.

Palavras-chave: Assoalho pélvico, Incontinência Urinária, Músculos do assoalho pélvico.

Abstract

The therapeutic modalities for training the pelvic floor muscles of women, with the study content and information from research to accomplish the work became clear the importance of training the muscles to maintain tone and prevent illnesses caused by the weakness of these muscles. This work has the role of describing the importance of physiotherapy in the recovery of their pelvic muscles with therapeutic modalities based on a literature review. According to what was researched, it was concluded that the hypotonicity of the muscles of the pelvic floor is a problem that directly affects the quality of life of women and physiotherapy should be seen as the first treatment resource for strengthening the pelvic floor muscles because it is a noninvasive method that has great features and techniques for strengthening muscles.

Key words: Pelvic floor, Urinary incontinence, Pelvic floor muscles.

 

Por: Luiz Gonzaga Andrezo Junior; Ivone da Silva Diniz Brauns

Fonte: novafisio

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*