O QUE É NECESSÁRIO FAZER PARA COMEÇAR UMA PÓS-GRADUAÇÃO?

0
604

Veja o que você deve saber para iniciar os estudos.

Um dos planos de quem está concluindo ou já concluiu o ensino superior é começar a fazer um curso de pós-graduação. No entanto, muitas vezes ele acaba não sendo colocado em prática devido à falta de informação e orientação sobre a grande diversidade de cursos ofertados hoje.

Existem, basicamente, duas modalidades de cursos de pós: a lato sensu, que engloba as especializações e os Master in Business Administration (MBA), e a stricto sensu, que envolve mestrado e doutorado. A grande diferença entre elas é o nível de aprofundamento de estudo do aluno.

“A pós-graduação lato sensu proporciona a especialização em uma determinada área, como, por exemplo, um aluno formado em Psicologia procura mais conhecimentos em Psicologia Clínica”, explica Márcia Flaire Pedroza, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Já a pós-graduação stricto sensu apresenta uma vertente mais acadêmica e científica, “direcionada para qualificar candidatos à docência e à pesquisa”.

Quais são os passos para se iniciar uma pós-graduação?

Para Márcia, não existe uma fórmula mágica que leve à escolha perfeita. No entanto, ela pontua: “algumas questões devem ser feitas pelo candidato: o que você espera de uma pós-graduação? Quais resultados quer atingir?”. Assim, é possível entender quais devem ser os próximos passos a serem tomados.

“Descubra quais universidades atendem sua área de interesse, e dentre elas verifique quais são as melhores. Veja se você preenche os requisitos necessários para ingresso, como condição financeira e horário disponível”, afirma a professora.

Planejamento é fundamental

Existem cursos que podem ser realizados em paralelo a outra atividade profissional, mas também há os que exigem dedicação exclusiva. Por isso, é necessário medir bem o tempo que pode ser dedicado aos estudos.

Foi o que fez Lucas Fonseca, que iniciou um curso de MBA em Gerenciamento de Projetos na Fundação Getúlio Vargas (FGV) dois anos depois de se formar em Engenharia Química. “Escolhi o MBA pensando nos meus objetivos e no tempo que eu tinha disponível”, afirma o engenheiro, que já pensava em fazer uma pós desde os últimos anos da graduação.

“Eu procurava me manter informado sobre os cursos que eram ofertados e em que instituições poderia estudar. Com um pouco de planejamento, não demorou muito e consegui iniciar a pós”, afirma Fonseca, que já sente uma diferença em sua vida profissional após ter realizado o curso. “Ganhei conhecimento técnico em gerenciamento de projetos e melhorei meu networking profissional”.

Márcia lembra que “a melhor escolha e o melhor momento para se fazer uma pós-graduação dependem das expectativas e de fatores particulares dos profissionais”. O segredo, portanto, é entender qual tipo de pós-graduação melhor atende a cada demanda e ponderá-las com as exigências do mercado de trabalho.

Por: Ana Carla Bermúdez

Fonte: Guia do Estudante

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*