PRÁTICA CHINESA REÚNE MULTIDÕES

0
627

18 EXERCÍCIOS | Prática é voltada à prevenção de dores no corpo

“No início foi muito difícil a aceitação das pessoas. O novo assusta”, relembra o fisioterapeuta Alfredo Wagner da Conceição, 52. Doze anos atrás, o então coordenador do centro de reabilitação física do município implantava o Lian Gong em Hortolândia (SP) sob desconfiança. Hoje, na cidade, há cerca de 2 mil pessoas cadastradas em 22 bairros diferentes.
Conceição também se recorda de quando conheceu a técnica, desenvolvida em Shangai, na China, em 1975, especificamente para o tratamento e prevenção de dores no corpo, em resposta às queixas dos operários que passavam longas horas em tarefas repetitivas. “Conheci através de um amigo, achei interessante e comecei a praticar”.
Composto por 18 exercícios divididos em três séries que trabalham o pescoço e ombros, as costas, cintura e as pernas e pés, o Lian Gong não precisa de aparelhos e pode ser praticado em qualquer lugar, individualmente ou em grupo. A técnica incorpora conceitos da energia vital, da força interna e do foco de atenção.
Em 2005, após conhecer e praticar o Lian Gong, Conceição resolveu inovar após se deparar com um alto número de pacientes na fisioterapia. “Foi a grande fila de espera dos pacientes que me fez abraçar a causa. Resolvi investir em algo que fosse preventivo (promoção de saúde)”, explica.
Faltava um auxílio para o Lian Gong ir para frente em Hortolândia. Surgiu uma emenda do Ministério da Saúde que estimulava os municípios a criar projetos de qualidade de vida para prevenção de doenças não transmissíveis. Conceição não pensou duas vezes. “Escrevi, fui contemplado e aí tudo começou, fui desenvolvendo ações”.
Segundo ele, são cerca de 1,4 mil pacientes ativos. A técnica foi implantada em 80% das unidades de saúde da família. A procura aumentou. “Praças, igrejas, entidades. Todos os lugares que me oferecem eu tento capacitar um instrutor e iniciamos no local”, garante. Hoje, o preconceito acabou e o Lian Gong se consolidou em Hortolândia.
MUITO BOA’
Dona Eva da Silva Tércio, 63, pratica o Lian Gong há dois anos. “Foi uma coisa muito boa que o doutor Alfredo colocou para a gente na terceira idade. Ele sempre passou confiança, nunca teve desconfiança, pelo menos da minha parte”, conta. Desde então, Eva pratica a técnica duas vezes por semana.
A idosa diz que o Lian Gong foi muito importante para melhorar sua saúde. “Fez uma diferença muito boa para mim. Antes eu tomava remédio toda semana por dor no joelho, por dores musculares, depois que comecei a praticar as dores sumiram”, narra.
Dona Eva virou adepta do Lian Gong e trouxe duas amigas para praticar com ela. “Já tem duas amigas que fazem comigo”, conta. Ela relata que, na Terceira Idade, muitas pessoas estão praticando a técnica chinesa. “Tem dia que quase não dá para fazer o movimento direito de tanta gente que tem”.
Fonte: Portal Todo dia ( UOL)

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*