PREVINA-SE DA LESÃO DO MENISCO SEGUINDO ESSAS DICAS

0
1798
Young woman limbering up before training doing exercises to stretch her muscles on a country path in morning light

Descubra por que esse problema é frequente entre corredores

A lesão do menisco é uma das mais comuns nos joelhos, principalmente em quem os exige tanto, como os corredores. Conversamos com dois especialistas para esclarecer como ela ocorre e quais cuidados você pode tomar para manter seus joelhos saudáveis.

Para começar é preciso entender a função do menisco. O professor da Faculdade Santa Marcelina (FASM), ortopedista e especialista em coluna vertebral, Dr. Luiz Claudio Lacerda, explica que o menisco é uma estrutura fibrocartilaginosa com formato em “C”, que cobre mais da metade da superfície articular do joelho. Eles são responsáveis por dar estabilidade e amortecer o impacto.

Causa

Foto: Psdesign/Fotolia

A maior incidência de lesões no menisco é decorrente de traumas sofridos durante a realização de atividades físicas e, por isso, não há uma faixa etária específica com mais tendência a sofrer o problema.

As principais causas são: excesso de impacto — causado pela sobrecarga de treinos, uso de um tênis sem o sistema de amortecimento correto, falta de força na musculatura, uma torção repentina (quando o pé fica fixo e no mesmo lugar e o joelho torce) ou até mesmo um movimento em falso.

Para a fisioterapeuta Kamyla Costa, esse tipo de lesão também está bastante relacionada a falta de preparo físico. “Apesar do menisco ser uma estrutura com capacidade de suportar altas cargas, sua resistência pode ser prejudicada em um atleta que não mantém um bom condicionamento físico global”.

Sintomas

Os primeiros sintomas da lesão no menisco são: dor, inchaço ou rigidez no local, dificuldades para dobrar ou manter a perna em posição reta, ter a sensação de “joelho travado” ou fraqueza. Em alguns casos é sentida até uma leve atrofia da musculatura da coxa.

Para se ter certeza do diagnóstico é preciso consultar um especialista e realizar um exame raio-x ou uma ressonância magnética, a ser definido pelo médico.

Prevenção

De acordo com o ortopedista, apesar do grande avanço na medicina do esporte, as lesões do menisco ainda são um grande desafio. A retirada parcial dessa cartilagem é uma cirurgia que tende a acelerar o processo degenerativo dos joelhos e, por isso, é tão importante ficar atento.

Nem todas as causas dessa lesão são evitáveis. Entretanto, a maioria só depende de do corredor, como: ter a orientação de um profissional para elaborar uma planilha de treino que mais se adapte a você, ter um tênis bom que seja capaz de amortecer o impacto, fazer exercícios de fortalecimento da musculatura, corrigir sua postura na hora da corrida e dar ao seu corpo um de descanso de vez em quando.

A fisioterapeuta acredita que a principal medida preventiva para manter o joelho saudável são treinamentos periódicos de força muscular, potência, resistência, equilíbrio e alongamentos

Tratamento

Após a lesão ser diagnosticada, o médico decide se o tratamento será conservador ou cirúrgico, de acordo com a gravidade da ruptura. “Na maioria dos casos de lesões de meniscos em atletas de corrida, por tratar-se de lesões crônicas, o tratamento é conservador. O médico receita anti-inflamatórios específicos para diminuição da inflamação e alívio da dor. Outro procedimento muito utilizado por médicos do esporte é a infiltração (viscossuplementação) de ácido hialurônico, que contribui para lubrificação da articulação”, explica Kamyla.

A fisioterapia é também ferramenta fundamental no tratamento da lesão do menisco. Segundo a especialista, na fase inicial são utilizados recursos de eletroterapia e terapias manuais para reduzir os sintomas de edema e dor. Com a melhora do quadro, inicia-se o fortalecimento muscular e aumento gradual da intensidade e cargas, melhora na amplitude de movimento e estabilização da articulação. Por fim, é feito um treinamento específico para o retorno seguro às atividades esportivas.

A cirurgia de menisco (meniscectomia) é uma das últimas opções: só ocorre quando as alterações degenerativas da articulação do joelho afetado já estão bem avançadas. Portanto, se você não quer arriscar, previna-se!

Fonte: Webrun

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*