PROFESSORA DA UNIGRAN DESENVOLVE PESQUISA COM PESSOAS QUE SOFRERAM AVC

0
854

O Acidente Vascular Cerebral – AVC, conhecido popularmente como derrame cerebral, continua a ser uma grande causa de incapacidade e um problema de saúde pública. Após um AVC, as pessoas recuperam gradualmente a capacidade motora. Para estudar os efeitos da fisioterapia na recuperação da função do braço, a professora da UNIGRAN, Angela Cristina de Lima, desenvolve pesquisa do doutorado e busca participantes que sofreram AVC para o projeto.

O projeto de pesquisa conta com dez participantes - Divulgação

Estudos apontam que mais de 85% apresentam déficits persistentes no membro superior, e apenas cerca de 30% voltarão a usar seu braço normalmente nas funções do dia a dia. Conforme a fisioterapeuta, este fato está associado a um relato de baixa autoestima e qualidade de vida.

“Os exercícios são muito importantes para a recuperação das funções após um AVC. A pesquisa propõe o uso de um recurso de tratamento que se chama ‘Treino motor com observação da ação’, em que a pessoa realiza exercícios enquanto observa o movimento através de um vídeo”, explica.

Angela de Lima ressalta que este tipo de tratamento tem base nos neurônios em espelho que são ativados tanto quando o indivíduo desempenha uma ação, quanto quando ele observa a ação ser executada. “Embora a maioria das habilidades motoras seja adquirida com a prática física, a simples observação de movimentos também parece conduzir a ganhos no desempenho. Já foram realizados estudos com resultados positivos na melhora da capacidade de andar e do equilíbrio, mas esta pesquisa propõe o uso deste recurso para a recuperação da função do braço”, destaca.

Uma das participantes do projeto, Ivanilde Sanches dos Santos, tem 60 anos e há 25 sofreu derrame. Ela conta que perdeu todos os movimentos do lado direito. “Quando fui para casa, não andava, não sabia de nada, fiquei na cama seis meses, não governava minha cabeça, nada. Fiz terapia direto, no hospital e na UNIGRAN. Estou maravilhada com essa nova opção de tratamento, esses exercícios estão sendo essenciais, porque o braço ficava anormal, antes doía muito, mas agora não dói tanto. Já sinto uma melhora”, avalia.

Gilson Venerando Arantes, 44 anos, sofreu AVC mais recentemente, há dois anos. E perdeu todos os movimentos do lado direito do corpo. “Tenho feito fisioterapia e comecei a participar do projeto para melhorar o braço. Melhorou a parte do braço que era mais duro, o trabalho tem sido muito bom”, comemora.

O tratamento é realizado duas vezes por semana na Clínica de Fisioterapia da UNIGRAN. As sessões são realizadas em pequenos grupos e consiste em exercícios com movimentos funcionais dos braços durante a observação da ação. São realizadas avaliações periódicas para acompanhar os resultados do tratamento.

As pessoas que sofreram um AVC e apresentam perda de função do braço podem entrar em contato através do telefone (67) 3411-4163 para participar. É necessário que consigam andar de forma independente, além de se comunicar e compreender as instruções dadas.

Fonte:agorams

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*