REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL: UMA REVISÃO DA LITERATURA

0
580

Global Postural Re-education: a literature review

Resumo

Contextualização: O método de Reeducação Postural Global (RPG) tem sido utilizado na clínica com relatos de benefícios para a prevenção e recuperação de disfunções musculoesqueléticas. Após duas décadas de aplicação, estudos têm verificado sua eficácia no tratamento de diferentes condições clínicas e ele tem sido comparado com outros recursos fisioterapêuticos. Entretanto, são poucos os estudos voltados à comprovação dos princípios defendidos pelo autor do método, o que torna frágeis as argumentações em favor dele. Objetivo: Realizar, com base na literatura científica, uma análise crítica dos efeitos da intervenção fisioterapêutica utilizando o método RPG. Métodos: Pesquisaram-se as bases de dados Medline, SciELO, LILACS e PeDRO, de 2000 a 2010, considerando os unitermos: RPG, alongamento global e alongamento ativo. Resultados: Foram encontrados 25 estudos, sendo 13 relacionados ao método RPG e oito aos alongamentos global e ativo, além de três livros e uma tese. Após análise, 20 referências foram utilizadas. Conclusões: Parte dos estudos aponta que o método RPG é mais efetivo, enquanto outros mostram resultados similares a outros métodos de intervenção fisioterapêutica. Estudos indicam benefícios do método na melhora da força muscular respiratória, expansibilidade torácica, mobilidade toracoabdominal e da pressão respiratória máxima, além de reduzir a dor, a perda de urina em mulheres incontinentes, melhorar a flexibilidade, a atividade eletromiográfica nas disfunções temporomandibulares e a estabilidade postural em alterações ortopédicas de membros inferiores. Limitações metodológicas observadas sugerem a necessidade de maior rigor em futuras pesquisas.

Palavras-chave: reeducação postural global; alongamento global; alongamento ativo.

Abstract

Background: The Global Postural Re-education (GPR) method has been widely used in clinical practice, with reported benefits for prevention and rehabilitation of musculoskeletal dysfunctions. In parallel with almost two decades of clinical implementation, research studies have tested and verified the effectiveness of GPR in treating different clinical conditions and have also compared this method with other physical therapy resources. However, few studies focused on the verification of the principles of mechanisms of action defended by the author of the method making the arguments in favor of the method weak. Objective: To perform a critical systematic review of the effects of physical therapy intervention that use the GPR method. Methods: We searched Medline, SciELO, LILACS and PeDRO, from 2000 to 2010, considering the key words: Global Postural Re-education, global and active stretching. Results: We found 25 studies, 13 about GPR and 8 about global and active stretching in addition to three books and a thesis. After analysis, 20 references were included. Conclusions: Some of the studies indicated that the GPR method was more effective than other physical therapy interventions, while others demonstrated similar results of GPR when compared to other physical therapy interventions. Studies showed benefits of the GPR in improving the respiratory muscle strength, chest expansion, maximal respiratory pressure and in reducing pain, loss of urine in incontinent women, increasing flexibility, the electromyographic activity in temporomandibular disorders and postural stability in lower limb orthopedic alterations. Methodological limitations observed suggest the need for greater rigor in future research.

Keywords: Global Postural Re-education; global stretching; active stretching.

Por: Rosana M. Teodori1 , Júlia R. Negri2 , Mônica C. Cruz3 , Amélia P. Marques4

1 Programa de Pós-graduação em Fisioterapia, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Piracicaba, SP, Brasil

2 Departamento de Fisioterapia, Faculdade de Americana (FAM), Americana, SP, Brasil

3 Departamento de Fisioterapia, Universidade da Amazônia (UNAMA), Belém, PA, Brasil

4 Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional, Faculdade de Medicina (FM), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil Correspondência para: Rosana Macher Teodori, UNIMEP, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Fisioterapia, Laboratório de Plasticidade Neuromuscular.

Fonte: Scielo

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*