SAIBA QUANDO A MULHER GRÁVIDA PODE PRATICAR PILATES

0
1099

Quando uma mulher descobre que está grávida, o mundo ao seu redor se transforma e tudo começa a girar em torno da sua saúde e do bebê. Mas apesar desta ser uma fase da vida tão linda e esperada, muitas gestantes sentem dificuldade em escolher as melhores opções para se cuidarem. E, dentre estas, a atividade física mais adequada para o momento. Nessa hora, alguns médicos indicam, entre outros métodos, o Pilates, por ser completo. Porém, alguns deles desconhecem que a prática do Método é contraindicado a quem não o pratica há, pelo menos, um ano antes de engravidar!

Muitos dos exercícios do Pilates, quando praticados em aulas individuais, podem beneficiar a futura mãe ajudando a manter uma boa postura, aliviando algumas dores habituais e proporcionando mais consciência sobre as mudanças que seu corpo está passando durante toda esta fase da vida. O Método permite à ela seguir uma atividade física segura e eficaz, a partir do terceiro mês da gestação, adaptando os exercícios às suas necessidades; respeitando cada etapa da gravidez e as mudanças de energia que se produzem dia a dia; e, também, realizando um treinamento físico com o objetivo de prepará-la para o parto.

Porém, para que ela possa frequentar as aulas de Pilates durante a gravidez, é necessário que já seja praticante do método há, no mínimo, um ano, e já tenha um Centro de Força (Power House), podendo realizar as adaptações e modificações dos exercícios de acordo as mudanças que se operam em seu corpo, que pode se prolongar durante o período Pós-Natal, fomentando uma rápida recuperação após o parto.

A instrutora da Unidade Alphaville do The Pilates Studio® Brasil, Daniela Miranda, é um exemplo de quem praticou o Método durante a gravidez e obteve ótimos resultados: “”Sendo instrutora e praticante do Autêntico Pilates, iniciei minha tão sonhada gravidez com um corpo mais preparado para as alterações que estavam por vir. A prática durante a gestação me proporcionou, além dos equilíbrios físico e mental, um ganho de peso adequado e evitou inchaços e dores nas costas, que são muito comuns nos últimos meses de gestação. Após o nascimento da minha filha (Gabriela), seguindo sempre a orientação médica, consegui retornar às minhas atividades físicas com qualidade e rapidez devido ao condicionamento físico obtido com o Método”, enfatiza Daniela.

O próprio Joseph Pilates não permitia que mulheres que não eram praticantes do Método antes de ficarem grávidas fizessem seus exercícios durante a gestação, pois não tinham o Power House. Se ele as permitisse praticar o Método sem que estas fossem praticantes, haveria risco de aborto. Em vista de tal convicção por parte do criador do Pilates, o The Pilates Studio® Brasil não aconselha a nenhuma grávida iniciar a prática nesta situação, nem fazer trabalho em grupo, pois este último não trabalha as suas necessidades.

Por tanto, se você já era praticante do Método antes de ficar grávida e se o seu médico a liberou para frequentar as aulas de Pilates, converse com o seu instrutor para que ele possa adaptar todo o treinamento à sua condição de gestante. E lembre-se: jamais pratique o Pilates estando grávida sem que seu médico e seu instrutor sejam informados.

Os benefícios do Pilates para a postura da gestante

“A prática do Método ajuda a mulher grávida a tomar mais consciência das mudanças de postura e a trabalhá-la para compensar as mudanças que sofre a pélvis, a coluna e os ombros; assim como ajuda a amenizar o desconforto e as dores durante a gestação”, afirma Inelia Garcia, diretora do The Pilates Studio® Brasil.

Caso a gestante escolha uma atividade física que não seja o Pilates, é importante que esta não tenha muito impacto e nem excesso de trabalho e de flexibilidade, porque durante a gestação o hormônio relaxina dilata e separa os ossos da pélvis – esta é a forma que o corpo alarga e dá um maior espaço interior para o bebê, facilitando a passagem deste pelo canal uterino durante o parto – e a maior ou a menor separação desses ossos depende do exercício físico e da força dos abdominais.

Já se a escolha da grávida for praticar Pilates, pode-se evitar que os músculos abdominais se separem muito, desenvolvendo uma maior estabilidade do corpo, da coluna vertebral, da pélvis e do abdômen, ficando o trabalho do Método centrado no estímulo do músculo transverso. O trabalho individual com os aparelhos tem uma alternância de posições do corpo que permite tranquilidade e segurança às gestantes.

Portanto, fica aqui um importante aviso às futuras mamães: não participem das aulas de Mat enquanto estiverem grávidas, pois a maior parte da aula o aluno fica deitado de costas, podendo ocasionar uma síndrome hipotensiva na gestante, na qual o peso do bebê pressiona a veia cava, impedindo a circulação normal do sangue no retorno ao coração.

Agora que todos os esclarecimentos sobre a prática do Método por mulheres grávidas foram devidamente feitos, é só seguir as dicas e ter uma gravidez linda e repleta de saúde e tranquilidade!

Fonte: Pilates

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*