SÍNDROME DE PATAU

0
2229

Esta síndrome também é conhecida como  Síndrome Bartholin-Patau (1616 – 1680), pois o dinamarquês Thomas Bartholin a descreveu pela primeira vez em 1656. Mas só em 1960 é que ela tornou-se de conhecimento geral, através dos estudos do geneticista Klaus Patau (1908 – 1975) e colaboradores. Ela é caracterizada pela trissomia do 13 (SMITH, 1972). Os achados nesta afecção são similares ao da trissomia do 18. Encontra-se também retardo psicomotor, surdez, discrania, alterações oftálmicas, hemangiomas capilares, e malformações dos órgãos internos (SANVITO, 1997).

O prognóstico não é bom, segundo BARAITSER & WINTER (1998), o óbito atinge 45% dos indivíduos no  primeiro mês, 70% até o sexto mês e 86% ao décimo segundo mês. O índice de sobrevida é muito baixo mesmo após os cinco anos.

Tratamento para Síndrome de Patau

recém-nascido-síndrome-patau

Os recém-nascidos com trissomia 13 necessitam de assistência médica desde o momento do seu nascimento. Dado que as anomalias cardíacas representam a causa principal de morte nesta doença. Há um problema ético de que se a sua recuperação cirúrgica será viável devido ao péssimo prognóstico do quadro clínico, tanto desde o ponto de vista físico, quanto intelectual. Cerca de dois em três pacientes recebem alta e necessitam de atenção especializada em casa, requerendo a intervenção de uma equipe multidisciplinar. Os pais dos pacientes são previamente ensinados para realização de determinadas tarefas e manobras que podem ser de importância vital para a sobrevivência do paciente.

Para esta doença não existe tratamento generalizado nem viável. Porém, pode-se recorrer em intervenções cirúrgicas para melhorar algumas anomalias.

Fonte: Bioson

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*