TEM ASMA? PREPARE-SE PARA ENFRENTAR OS DIAS MAIS FRIOS

0
376

Mesmo não tendo cura, há tratamento e remédios para diminuir os sintomas e o agravamento da doença

 

O inverno começou oficialmente nesta quarta-feira (21), quando também é celebrado o Dia Nacional de Controle da Asma, doença que afeta cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS).

É justamente nesta época do ano, por conta das baixas temperaturas, que os sintomas da asma se agravam. E a permanência em ambientes fechados, comum no clima frio, facilita a propagação de vírus e bactérias.

De acordo com o pneumologista Antônio Ferreira, a asma é uma doença alérgica crônica, que não tem cura, mas que pode ser controlada. “Em geral, são indicados dois principais tipos de medicamentos: os de controle, que desinflamam os brônquios, e os remédios de resgate, que aliviam os sintomas, provocando a vasodilatação e facilitando a entrada de oxigênio”.

Para evitar as famosas crises, o médico orienta que é muito importante procurar um especialista ao sinal dos primeiros sintomas, que são tosse, falta de ar, aperto no peito, chiado e dificuldade para respirar.

“O diagnóstico da asma é feito de forma clínica e com alguns exames. Mas é conversando com o paciente, ouvindo suas queixas e investigando seu histórico familiar que conseguimos determinar se ele possui a doença”, explica a pneumologista.

Genética

O pneumologista explica que, por se tratar de uma doença genética, é comum que os filhos de pacientes asmáticos também a desenvolvam.

É o caso da jornalista Amanda Domingues, de 24 anos, que tem muitos asmáticos na família. “Minhas lembranças da infância são marcadas por períodos de muita crise. Tenho até hoje aparelho de inalação em casa”.

O médico alerta ainda que a asma pode ser assintomática em adultos, sendo as crises mais frequentes em crianças. “Devido à frequência e ao risco de desfecho grave do quadro clínico, a asma é considerada uma prioridade de atendimento em saúde’.

Ataca mais mulheres

Um levantamento feito em 2015 pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que as mulheres são as mais acometidas pela doença: cerca de 3,9 milhões delas afirmaram ter diagnóstico da enfermidade, contra 2,4 milhões de homens, ou seja, prevalência de 39% a mais entre o sexo feminino.

csm_883c1736-9a1e-40a3-a596-afa22b5a18f3_f43243bcae

O pneumologista ainda alerta para outras doenças desta época do ano. “É importante salientar que não é só a asma que aparece no inverno. Há outras, como pneumonia, otite, sinusite, e que precisam de atenção redobrada”.

Veja como prevenir:

Gripe

A gripe apresenta  febre, mal-estar e tosse seca. Pode durar mais de uma semana e os sintomas são muito mais fortes que os dos resfriados comuns.

Prevenção: vacinando contra a gripe, especialmente se você se enquadra em um grupo de risco, que inclui idosos, mulheres grávidas e pessoas com doenças crônicas. Embora a vacina não proteja contra todos os tipos de vírus, ela pode reduzir o risco de contrair a gripe.

Pneumonia

Pode ser resultado da gripe, porque as infecções virais diminuem a capacidade do corpo para resistir à bactéria. Os sintomas geralmente começam com febre e tosse.

Prevenção:  tome a vacina contra a gripe, pois esta é a causa comum da pneumonia. A vacina pode ajudar na proteção. Evite fumaça de cigarro.

Sinusite

É a inflamação dos seios perinasais e pode ser um indicador de condições mais graves. Estas infecções são frequentemente causadas por vírus, por isso é melhor tentar descongestionantes baseados em corticosteroides, analgésicos e anti-histamínicos.

Prevenção: comer frutas e vegetais embalados com antioxidante em abundância, evitar o fumo e os poluentes, beber muitos líquidos e considerar o uso de um umidificador.

Rinite

Pode ser causada por alergias que pioram durante o tempo mais frio. Respirar um alérgeno como poeira geralmente desencadeia a rinite e os sintomas incluem coriza e espirros.

Prevenção:  fique longe de fumantes e pessoas com resfriados. Coma muita fruta e vegetais frescos. Use medicamentos antialérgicos recomendados por um médico.

Otite

Também conhecida como infecção no ouvido, é mais comum no verão. No entanto, infecções comuns no frio como congestionamento e rinite nasal podem te pôr em risco de otite também.

Prevenção: Proteja os seus ouvidos contra o vento frio, com lenços chapéus e casacos para prevenir infecções de ouvido.

Fonte: Ministério da Saúde / http://www.atribuna.com.br

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*