TEMPO SENTADO ELEVA RISCO DE MORTE

0
1145

Passar menos tempo sentado no trabalho reduz chances de morrer por alterações cardiovasculares, câncer, diabetes e colesterol, aponta pesquisa. Segundo ela, 433 mil mortes – cerca de 4% dos falecimentos no mundo – poderiam ser evitadas se as pessoas passassem três horas a menos sentadas por dia. Essa pesquisa foi desenvolvida com base em dados da Organização Mundial da Saúde sobre o tempo médio de permanência sentado em 54 países.

O levantamento revela que os riscos de morte estariam relacionados a alterações cardiovasculares, alguns tipos de câncer, diabetes e colesterol e aumentam a cada hora que se passa a mais na cadeira. Dizem os especialistas que ficar 4 horas sentado, por exemplo, eleva o risco em 2%, chegando a 18% após 9 horas.

Outro estudo diz que permanecer sentado é o novo fumar, já que o risco de ter um ataque cardíaco é aproximadamente o mesmo se comparado uma pessoa que fuma com outra que passa a maior parte do dia em cima de uma cadeira. Até mesmo para quem faz parte do time que trabalha muito e depois vai para a academia a notícia não é boa: nem sempre os exercícios pós-escritório são o bastante para compensar os efeitos negativos de oito ou mais horas parado.

De acordo com a fisioterapeuta Marília Danielle, especialista em Terapia Intensiva, o ideal é que seja possível a adaptação confortável e produtiva entre o homem e sua atividade laboral, e este é o conceito de ergonomia, além disso, a prática de Pilates ajuda a desenvolver a consciência corporal, corrigindo más posturas e o mau uso do corpo.

“Na verdade, a atividade deveria estar presente desde a nossa residência, passando pelo nosso lazer até o nosso trabalho, com definições adequadas das camas, da altura da TV, do tanque de lavar roupas, da bancada da cozinha, da cadeira e mesa no trabalho, e do computador por exemplo”, orienta a profissional

5e8189ab-4ae5-4674-83ee-cf72fd35cdf6

O fisioterapeuta é o profissional mais indicado para ajudar, já que atua na área da saúde com sólida formação científica no desenvolvimento de técnicas de prevenção, avaliação, tratamento e reabilitação de disfunções do corpo utilizando programas de promoção e orientação em saúde.

Efeitos no coração

Os especialistas afirmam que o primeiro órgão afetado pela baixa atividade é o coração, que terá menos trabalho para bombear o sangue num corpo em repouso, diminuindo a qualidade das batidas. A consequência é o infarto. Além disso, as pernas imóveis geram uma resistência para o sangue bombeado e a consequência é hipertensão.

A má circulação gerada pelo sedentarismo contribui ainda para o desenvolvimento de insuficiência renal e o aparecimento de varizes. A atrofia muscular é outra consequência, pois obviamente os músculos sem uso diminuirão. Sem músculos, as articulações também são afetadas e ficam enfraquecidas. “Ginástica laboral, pausas durante as atividades, exercícios para alongamento muscular ou aquecimento, tudo isso pode ser utilizado para evitar possíveis transtornos na saúde tanto física como mental”, recomenda a fisioterapeuta.

Movimentar-se é o melhor remédio

Muitas pessoas não conhecem os riscos à saúde e os problemas que podem se desenvolver por passar muito tempo sentado e passam muitas horas sentados no trabalho, mas há também quem já conheça alguns desses malefícios e por isso mesmo procura se movimentar mais. O publicitário Anderson Vieira, de 23 anos, revela que passa cerca de 8 horas por dia sentado, mas por ser filho de médicos foi orientado desde cedo a praticar alguns exercícios ao longo dia de modo a diminuir os impactos da prática.

“Procuro me movimentar muito dentro do trabalho, mudando de ambiente, caminhando para ir beber um pouco de água ou, pelo menos, dar uma volta lá fora pra ver o movimento da rua”, revela o jovem. Anderson Vieira conta ainda que desde os seus antigos trabalhos sempre foi alertado por não conseguir ficar parado em um único lugar por muito tempo. “Acho que estou fazendo a coisa certa para evitar esses problemas que possam aparecer”, acrescentou.

Para mudar esse cenário, é fundamental que os ambientes social e corporativo sejam alterados de forma a incentivar opções mais saudáveis, buscando integrar naturalmente o dia a dia a uma rotina mais saudável. De acordo com a fisioterapeuta, as empresas também têm que colaborar.

“No ambiente de trabalho, o profissional supracitado é essencial para realizar orientações ao trabalhador quanto aos cuidados com a postura e a saúde, de modo a minimizar os fatores de risco de surgimento de doenças ocupacionais”, afirma Marília Danielle.

Segundo ela, isso implica também no investimento e na preocupação dos empregadores em ter cada vez mais trabalhadores saudáveis, satisfeitos e dispostos a trazer bons resultados para a empresa.  (W.B.)

Mudança de hábito para viver mais

O ato de por muito tempo permanecer sentado aliado à má postura pode acarretar em aumento de tensão muscular, compressões nervosas, podem surgir abaulamentos e hérnias de disco, escolioses, tendinites, por isso é preciso uma mudança no estilo de vida, no entanto, segundo Marília Danielle, sabe-se que é muito difícil mudar hábitos e isso torna-se bem mais complicado quando trata-se de algo relativamente recente, já que a ergonomia como ciência e tecnologia que procura adaptar as características de trabalho às peculiaridades do homem, na história, somente se firmou com o projeto da cápsula espacial norte-americana na década de 50.

Dessa maneira, o importante é estar sempre atento a altura da cadeira ou do banco, ambos com bordas frontais arredondadas, pés apoiados, encosto com leve grau de inclinação para trás (10º) com proteção na região lombar, área de trabalho de fácil alcance assento confortável, visualização dentro do campo de visão.

“As conhecidas “pausas para um cafezinho”, ou para “esticar as pernas” são sempre bem-vindas e necessárias seguidas de alongamentos para promover o relaxamento de algumas áreas muito utilizadas ou ativação de outras um tanto esquecidas durante a execução da atividade laboral”, esclarece. A profissional destaca ainda que os exercícios respiratórios podem então vir associados e fazem muito bem e quando realizados corretamente acalmam e relaxam o corpo e desaceleram a mente. (W.B.)

Fonte: Jornal Meio Norte

 

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*