TERMOTERAPIA

0
27128

TERMOTERAPIA

  • Aplicação de calor terapêutico ao corpo.
  • Os métodos de aquecimento são classificados como superficiais ou profundos.
  • Os efeitos do calor sobre a taxa metabólica, a inflamação e a dinâmica do sangue e dos fluidos são em geral, opostos aos do frio.

TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA TÉRMICA

  • Condução – consiste na transferência de calor entre dois objetos que estão em contato físico
  • Convecção – consiste no transporte de calor pela movimentação de um meio
  • Radiação – é a transferência de energia sem o uso de um meio
  • Evaporação

CLASSIFICAÇÃO DOS AGENTES DE CALOR

  • Calor superficial
  • Lâmpadas infravermelhas
  • Compressas quentes úmidas
  • Banhos de parafina
  • Turbilhão e/ou aquecidos imersão

AGENTES DE AQUECIMENTO SUPERFICIAL

  • Devem ser capazes de aumentar a temperatura da pele dentro de um limite e 40ºC a 45ºC
  • A transferência de calor para os tecidos subjacentes ocorre através da condução
  • Limitam-se a profundidades inferiores a 2 cmO tecido vivo parece ser afetado pelas mudanças de temperatura de dois modos fundamentais, a partir dos quais emanam outras alterações. Esses são:
    • Alterações físicas e químicas dependentes da temperatura, como a taxa metabólica, a viscosidade e a extensibilidade do tecido colagenoso;
    • Alterações relacionadas com a regulação fisiológica desenvolvidas para proteger o corpo de lesão, como ocorre nos sistemas vascular e nervoso.

EFEITOS LOCAIS DA APLICAÇÃO DE CALOR

  • Vasodilatação
  • Aumento da taxa metabólica
  • Aumento da liberação de leucócitos
  • Aumento da permeabilidade capilar
  • Aumento da drenagem linfática e venosa
  • Formação de edema
  • Remoção de resíduos metabólicos

ALTERAÇÕES NOS VASOS SANGUÍNEOS

  • A hiperemia cutânea extraordinária decorrente do calor leva à ideia de que ocorrem efeitos similares em outros tecidos, mas esse não é o caso.
  • A vasodilatação é maior nos vasos superficiais do que nos vasos profundos.
  • O fluxo capilar elevado resulta em aumento de suprimento de oxigênio, nutrientes e anticorpos para área afetada.
  • O edema aumenta, mas a capacidade de removê-lo é maior.
  • O aumento da permeabilidade capilar ajuda a reabsorção do edema e a dissolução dos hematomas.
  • Estes resíduos podem ser drenados pelos sistemas venoso e linfático. Se o retorno venoso e linfático não for estimulado, ocorrerá mais edema.

ATIVIDADE METABÓLICA

  • Com uma elevação apropriada na temperatura, toda a atividade celular aumenta, incluindo a motilidade celular, a síntese e liberação de mediadores químicos.
  • Além disso, a taxa de interação celulares, como a fagocitose ou crescimento, é acelerada.
  • O aumento real do metabolismo é de cerca de um oitavo (13%) para cada 1ºC de elevação da temperatura. (Lei de Van’Hoff).
  • Do ponto de vista terapêutico as alterações locais de temperatura que podem, ou devem ser atingidas são limitadas nos tecidos profundos a cerca de 5 ou 6ºC acima ou abaixo da temperatura central.

EFEITOS LOCAIS DA APLICAÇÃO DE CALOR

  • Aumento da elasticidade
  • Analgesia e sedação dos nervos
  • Redução do tônus muscular
  • Redução do espasmo muscular
  • Aumento da velocidade de condução nervosa

ALTERAÇÕES DO TECIDO COLAGENOSO

  • Tem se mostrado que o colágeno derrete a temperaturas acima de 50º C (Mason e Rigby, 1963).
  • Com temperaturas terapêuticas (40 a 45ºC) a extensibilidade do tecido colagenoso aumenta (Lehmann et al., 1970).
  • Isso ocorre apenas se o tecido for simultaneamente alongado e requer temperaturas próximas do limite terapêutico.

ANALGESIA E SEDAÇÃO DOS NERVOS

  • Os nervos aferentes estimulados pelo calor podem ter um efeito analgésico agindo no mecanismo de controle da comporta.
  • Ocorre hiperalgesia na área aquecida durante uns poucos minutos após a aplicação do calor.
  • Tem-se sugerido que o aquecimento das terminações nervosas dos fusos musculares aferentes e das terminações tendíneas de Golgi pode ser o modo pelo qual o espasmo muscular se reduz com aquecimento (Lehmann e de Lauter, 1982).

INDICAÇÕES GERAIS DO CALOR

  • Quadros inflamatórios subagudos e crônicos
  • Redução da dor crônica ou subaguda
  • Espasmo muscular crônico ou subagudo
  • Redução da ADM
  • Resolução de hematomas
  • Contraturas articulares

CONTRA-INDICAÇÕES GERAIS AO CALOR

  • Traumatismos agudos
  • Circulação insuficiente
  • Regulação térmica insuficiente
  • Áreas anestésicas
  • Neoplasias

Por: Ariani Nery

Fonte: Ebah

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*