TRATAMENTO COM A OSTEOPATIA PODE AJUDAR A CURAR DORES CRÔNICAS

0
1648

Sabe aquela dor no corpo que você sempre sentiu e ninguém nunca deu jeito? Ela pode ser resolvida. Hoje iremos falar sobre a osteopatia, uma prática de medicina alternativa. Tive a oportunidade de experimentar esse método para tratar uma dor nas costas e fiquei impressionada com o resultado.

Convidei dois fisioterapeutas, Kleber Caiado e Jader Mendonça, que são especialistas no assunto, para nos contar o que é e como funciona esse tratamento.

A osteopatia é um tratamento usado por fisioterapeutas, que o definem como um diagnóstico diferencial. O tratamento é centrado no paciente, e não apenas na doença. O conceito da fisioterapia vem mudando atualmente. Até pouco tempo atrás, a fisioterapia era indicada principalmente para tratar lesão ou doença. Hoje, sabe-se que podemos usá-la na prevenção de doenças, como um cuidado de saúde.

O campo de tratamento da osteopatia é muito amplo, abrange todo o corpo. Seguem algumas vertentes que podem ser tratadas: disfunções que podem virar lesões, dores articulares, problemas relacionados ao sistema nervoso central, circulatório e visceral e pós cirúrgicos.

O tratamento é recomendado para pessoas de todas as idades. Pode ser útil para o bebê que sofre com o refluxo e para o adulto/idoso que tem problemas como: dores na coluna, dor de cabeça, inflamação do nervo ciático, alterações digestivas, respiratórias e também para tratar lesão ou dores constantes associadas ao trabalho ou esporte.

O mais legal de tudo isso é que o tratamento é puramente manual, com grande eficácia, não é invasivo. E as dores normalmente são sanadas logo nas primeiras seções.

A osteopatia é reconhecida pelo conselho federal de fisioterapia e é recomendada e incentivada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Se você tem algumas dessas queixas ou deseja fazer um acompanhamento preventivo sem dúvida vale a pena experimentar.

Por: Kleber Caiado – CREFITO 11/59241 e Jader Mendonça – CREFITO 11/91668f

Fonte: Metrópolis

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*