TREINAMENTOS PARA O CONTROLE DE DISFUNÇÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS OCUPACIONAIS: UM INSTRUMENTO EFICAZ PARA A FISIOTERAPIA PREVENTIVA?

0
286

Resumo

O número de lesões músculo-esqueléticas de natureza ocupacional tem aumentado expressivamente no Brasil nos últimos anos, gerando uma nova demanda de trabalho para a Fisioterapia, que começa a realizar trabalhos preventivos em ambientes ocupacionais. Historicamente, a experiência da Fisioterapia com prevenção foi iniciada através de treinamentos conhecidos como a “Escola das Costas” (Back School) na década de 1970. Aparentemente, a atuação da Fisioterapia em prevenção continua apoiando-se em treinamentos. No entanto, o contexto atual é ainda mais complexo. A necessidade de produzir em bases mais competitivas levou a indústria brasileira a aumentar sua produção sem alterar seu quadro de pessoal. Uma das conseqüências disso foi o aumento expressivo de lesões, principalmente daquelas relacionadas ao trabalho repetitivo. Para atender a esse novo contexto, os treinamentos estão mudando ao longo do tempo. Deixam de ser um fim em si, para tornarem-se um veículo na introdução de outras medidas preventivas. Insistir na utilização exclusiva de treinamentos para compensar deficiências decorrentes de situações alheias aos indivíduos treinados pode trazer frustrações para todos os envolvidos. Portanto, este trabalho teve como objetivo rever diferentes tipos de treinamentos preventivos disponíveis e os resultados decorrentes da aplicação desses programas em diferentes situações ocupacionais. A premissa dessa revisão é que o conhecimento acumulado possa contribuir para iniciativas futuras.

Palavras-chave: fisioterapia preventiva, treinamentos preventivos, lesões músculo-esqueléticas ocupacionais, lesões por esforços repetidos

Abstract.

The number of work related musculoskeletal disorders has increased in Brazil in the last years. This fact is creating a new job demand for the Physiotherapists who work with the preventive approach. Historically, studies reporting interventions done in prevention started with the so called Back School programmes, during the 1970 decade. Apparently, the preventive approach in Physiotherapy is still using training, despite the fact that the occupational context has become more complex. In order to produce the national goods in a more competitive basis, the Brazilian industries increased their production rhythm enormously, without increasing their staff. As a matter of consequence, there has been also an increase in the work related musculoskeletal disorders rate. To deal with this new challenge, the preventive training design is changing. Instead of being applied as a unique measure, it has been associated with broader preventive measures. The purpose of this work is to review different types of available preventive training and the results obtained in different occupational contexts. The premi se of this review is that the knowledge already gathered may contribute to the design of new intervention projects.

Keywords: prevention, preventive training, work related musculoskeletal disorders, back shool, cumulative trauma disorders

Por: H.J.C.Gil Coury 1 e S. Rodgher2

1 Professor Adjunto, Responsável pela área de Fisioterapia Preventiva

2 Aluna de Mestrado, Bolsista do Capes Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Fisioterapia

Fonte: Revista Brasileira de Fisioterapia

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*