TREINO SUPERVISIONADO DIMINUI RISCO DE LESÕES

0
485
 O treinamento preventivo com exercícios específicos para evitar lesões deve ser parte da rotina dos tenistas amadores e profissionais. Na TennisSquare, a equipe de treinamento competitivo realiza estes exercícios sob a supervisão dos fisioterapeutas Lucas Tonicelli e Evany Salvador, para garantir que a prevenção dos atletas comece desde cedo e que eles tenham um melhor desempenho no esporte.

 

O principal objetivo do treino preventivo com os atletas é mantê-los da melhor forma possível no esporte e por mais tempo, evitando o afastamento por lesão. E também para que desenvolvam condições físicas específicas para o tênis, alcançando melhor desempenho nos treinos e nas competições”, explica Evany, especializada em fisioterapia esportiva pelo Centro de Traumato-Ortopedia do Esporte da UNIFESP.

Os exercícios são feitos três vezes por semana para que os resultados sejam garantidos. “São exercícios simples, que envolvem controle motor, treinamento de core, correção dos gestos esportivos, e são programados de acordo com a fase que os jogadores estão e com o treinamento. Buscamos elaborar os exercícios de acordo com a individualidade do atleta, associando as principais lesões do esporte, no caso, o tênis”, afirma.

Quanto mais cedo os tenistas começarem os exercícios preventivos, melhor. “Qualquer atleta pode fazer o trabalho preventivo, não tem idade. Apesar da sobrecarga ser acumulativa durante o tempo de prática, é na categoria juvenil que os vícios e os erros de técnica começam, então no treinamento preventivo o fisioterapeuta, junto com o preparador físico e com o técnico, podem identificar o risco de lesão a partir de um gesto esportivo incorreto”, conta.

No tênis sabemos que a epicondilite lateral, também conhecida como cotovelo do tenista, é uma lesão muito comum, que acontece muito mais por erro de técnica, do que por falta de preparo físico. É claro que os músculos do antebraço são muito solicitados no tênis e acabam tendo uma sobrecarga, mas um trabalho com base na biomecânica correta e com um gesto esportivo adequado, podem evitar esse problema”, explica.

O foco dos exercícios preventivos é trabalhar o atleta com um todo, com a especificidade do esporte. “Além do cotovelo, há incidência de dor lombar, lesão no ombro e no tornozelo. Na verdade, trabalhamos de forma global, utilizamos muito o treinamento de core, voltado para o abdômen, fazemos conscientização de forma estática e dinâmica, para que eles consigam contrair o abdômen durante todas as atividades esportivas, para ter mais estabilidade, e com isso, terão uma biomecânica melhor para os golpes. Assim como o treinamento de estabilizadores da escápula para ombro e o trabalho proprioceptivo e de mobilidade para prevenir a entorse no tornozelo”, disse.

Para a tenista Giovanna Paschoalin, o treinamento preventivo está ajudando muito. “O treino preventivo é muito importante. Já lesionei os dois cotovelos, então o trabalho com os fisioterapeutas está me ajudando bastante. Acredito que esse treino vem ajudando todo mundo na quadra, porque muitos tenistas acabam sofrendo com lesões, principalmente no cotovelo e no joelho. Estamos fazendo os treinos preventivos várias vezes durante a semana e estamos sentindo a melhora na quadra”, falou a paulista de 18 anos, que se prepara para embarcar para o tênis universitário norte-americano, em agosto.

Fonte: Gazeta Esportiva

SEM COMENTÁRIOS

O QUE ACHOU DESTE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO.

*