NotíciasSaúde

O QUE É TÓRAX INSTÁVEL?

É resultante de fraturas costais, levando à interrupção das conexões ósseas da região afetada com o restante da caixa torácica, e prejudicando a movimentação da parede torácica.

O que é tórax instável?

O tórax instável, também chamado tórax flácido, é resultante de fraturas costais, levando à interrupção das conexões ósseas da região afetada com o restante da caixa torácica, e prejudicando a movimentação da parede torácica. Assim, esta parede deixa de proporcionar um apoio ósseo rígido, necessário para manter a expansibilidade torácica suficiente para uma função ventilatória normal.

Quais são as causas do tórax instável?

A instabilidade torácica resulta da fratura de várias costelas (pelo menos dois pontos de fratura em duas costelas consecutivas), associadas ou não a fraturas de coluna vertebral ou do esterno. As fraturas geralmente ocorrem entre as terceiras e oitavas costelas, porque elas são longas, finas e pouco protegidas. A instabilidade da caixa torácica leva a prejuízos na ventilação.

Quais as alterações fisiológicas causadas à respiração por um tórax instável?

A respiração normal depende da expansão da parede do tórax que cria uma pressão negativa no interior do tórax, possibilitando a expansão dos pulmões e a inspiração do ar. Por outro lado, a contração das paredes torácicas cria uma pressão positiva que expulsa o ar do interior dos pulmões no movimento de expiração.

A instabilidade torácica compromete essa dinâmica da função ventilatória. No tórax instável ocorre um movimento paradoxal da parede torácica (respiração paradoxal): durante a inspiração, o segmento instável move-se para dentro e durante a expiração, para fora.

Quais são as principais características clínicas do tórax instável?

Os prejuízos clinicamente significativos da função respiratória dependem pelo menos da fratura de quatro costelas consecutivas, em dois ou mais locais. Mesmo fraturas menos exuberantes podem afetar a função respiratória se há outras comorbidades presentes e se a idade é avançada.

Além do movimento paradoxal descrito acima, o paciente apresenta dor, quadro de hipóxia grave que pode progredir para insuficiência respiratória e choque circulatório. A instabilidade torácica diminui drasticamente a capacidade pulmonar e a capacidade de tossir, predispondo ao acúmulo de secreções, atelectasias e pneumonia.

Como o médico diagnostica o tórax instável?

O diagnóstico de tórax instável é feito pela observação dos movimentos respiratórios paradoxais do segmento afetado. Também se verifica crepitações dos arcos costais à palpação da parede torácica. Exames radiográficos e de tomografia computadorizada ajudam a confirmar o diagnóstico.

Como o médico trata o tórax instável?

Fraturas costais podem exigir atenção de urgência, tal como intubação endotraqueal e estabilização manual ou cirúrgica do segmento instável. Outros tratamentos podem ser realizados para controlar sintomas associados, como a dor, por exemplo. A fisioterapia é muito importante para evitar as complicações.

Quais são as complicações possíveis do tórax instável?

As fraturas costais que causam o tórax instável podem se complicar com pneumonias, pneumotórax, hemotórax, lesões hepáticas e insuficiências respiratórias graves.

 

Autor: abc.med.br
Fonte: abc.med.br

Tags
Mostrar mais

Fisioterapia.com

Encontre no Portal Fisioterapia.com uma grande variedade de notícias, artigos, oportunidades e serviços exclusivos para Profissionais e Acadêmicos de Fisioterapia ou interessados pela área.

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close